i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
lava jato

Executivo da Andrade Gutierrez é transferido para o Complexo Médico

Flavio Barra é investigado por suspeita de pagamento de propina nas obras da Usina de Angra 3

  • PorCarlos Eduardo Vicelli, com agências
  • 20/08/2015 10:03
Flavio Barra deixa a sede da PF: transferência para o Complexo Médico Penal. | Aniele Nascimento/Gazeta do Povo
Flavio Barra deixa a sede da PF: transferência para o Complexo Médico Penal.| Foto: Aniele Nascimento/Gazeta do Povo

O presidente da o presidente da AG Energia, braço da empreiteira Andrade Gutierrez, Flavio Barra foi transferido na manhã desta quinta-feira (20) da carceragem da Polícia Federal (PF), em Curitiba, para o o Complexo Médico Pinhais (CMP), em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. A mudança fecha a série de três transferências autorizadas nesta semana pelo juiz federal Sergio Moro – o ex-diretor da Petrobras Jorge Zelada e o ex-gerente da estatal Celso Araripe foram para o CMP na segunda-feira (17).

Barra é investigado por suspeita de pagamento de propina nas obras da Usina de Angra 3. O executivo, preso na 16.ª fase da Operação Lava Jato, confirmou que houve uma reunião sobre assuntos relacionados ao consórcio de Angra 3 e que, no final do encontro, o presidente da UTC, Ricardo Pessoa, pediu uma contribuição para o PMDB em nome do senador Edison Lobão (PMDB-MA), ex-ministro de Minas e Energia.

Procurador vai atribuir dois crimes a Collor

Leia a matéria completa

A reunião foi realizada, em agosto de 2014, para que as empreiteiras Camargo Corrêa, UTC e Andrade Gutierrez discutissem detalhes do contrato de obras de Angra 3, sob responsabilidade da Eletronuclear. O empresário Dalton Avancini, ex-presidente da Camargo Corrêa, disse em seu termo de delação premiada, que nessa reunião se discutiu também o pagamento de propinas de 1% do montante do contrato para o PMDB e dirigentes da Eletronuclear.

A Eletronuclear é uma subsidiária da Eletrobras responsável pelas usinas nucleares do país. Presidente licenciado da Eletronuclear, o almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva suspeito de ter recebido R$ 4,5 milhões em propina entre 2009 e 2014 das empresas Andrade Gutierrez e Engevix para favorecê-las nas licitações das obras de construção de Angra 3.

De acordo com a força-tarefa da Lava Jato, os pagamentos foram realizados por meio de empresas intermediárias, a maioria de fachada, para a empresa Aratec Engenharia, que pertence a Othon. Um dos pagamentos, de R$ 252 mil, ocorreu em dezembro de 2014 – mês seguinte à deflagração da 7.ª fase da Lava Jato que prendeu os primeiros executivos de grandes empreiteiras do país.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.