Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

O ex-presidente brasileiro Fernando Henrique Cardoso recebeu nesta quinta-feira (15) um doutorado honoris causa pela Universidade de Tel Aviv. A homenagem foi realizada no campus universitário, em evento acompanhado por representantes da comunidade judaica do Brasil.

O ex-presidente viajou a convite da Sociedade Brasileira dos Amigos da Universidade de Tel Aviv. Com agenda quase toda privada, durante sua visita ao país, ele deve encontrar-se com Shimon Peres, presidente de Israel, nos próximos dias. O programa da Universidade de Tel Aviv apresentou o ex-presidente do Brasil como um "líder nacional respeitado, intelectual, acadêmico".

A homenagem foi justificada como reconhecimento pelo "comprometimento em defender os valores democráticos" e pelas "contribuições para a sociologia e para as ciências políticas, em especial seu trabalho nos desafios para o desenvolvimento da América Latina".

Fernando Henrique foi o primeiro latino-americano a receber a homenagem da universidade - entregue, no passado, à chanceler alemã Angela Merkel e ao Nobel da Paz Elie Wiesel. Ele fez também o principal discurso da noite, afirmando que Israel foi um dos exemplos para a economia brasileira.Em seguida, o ex-presidente elogiou os avanços de Israel, "que irrigou desertos", mas notou que apesar das guerras vencidas o país não vive em paz na região. "Sejam firmes e pragmáticos, façam paz com os palestinos."

Fernando Henrique fez a plateia rir e aplaudir ao dizer que tinha se confundido com os papéis do discurso e talvez tivesse de "inventar alguma coisa". Ele também teve dificuldades com o chapéu cerimonial que usava durante a fala, levando a uma segunda leva de aplausos. "Não sou bom com as mãos", disse.

O título entregue ao ex-presidente coincidiu com a visita de uma missão de empresários brasileiros, acompanhada por diretores da Confederação Israelita do Brasil. Os empresários devem cumprir uma agenda de encontros que incluem o futuro cônsul econômico de Israel em São Paulo e jornalistas locais.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]