Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Diante do cenário de crise política no governo Dilma Rousseff, senadores do PT e do PSDB bateram boca nesta segunda-feira (6). Ex-ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann (PT-PR) acusou o PSDB de adotar uma postura “golpista” e de “criar um clima” para desestabilizar a gestão petista.

Presente durante a fala, o tucano Aloysio Nunes (SP) reagiu: “Eu sou um senador da oposição. Você chamou a oposição de golpista. Estou contestando”. A petista rebateu em seguida: “Não lhe chamei de golpista. Vossa excelência vestiu a carapuça”.

Gleisi criticou o tom adotado em convenção nacional do maior partido de oposição. No domingo (5), o senador Aécio Neves (MG) disse que o PSDB terá “coragem para fazer o que tem que ser feito” e que deve se preparar para “ser governo” em breve, em alusão a uma saída de Dilma antes do fim de seu mandato, em 2018.

“Quer se criar um clima de que tudo está ruim, de que a presidenta não tem mais credibilidade. Não estou dizendo que o país está uma beleza. Eu subo a essa tribuna para dizer que esse país não é a feiura que vossas excelências pintam”, disse a petista.

Gleisi teve o apoio do vice-presidente do PMDB, Valdir Raupp (RO). “Cadê o fato consumado para afastar a presidente da República e o vice? Não tem”, disse ele.

Na tribuna em seguida, Aloysio Nunes rebateu as críticas e comparou o governo do PT a uma “bananeira que já deu cacho, não tem mais o que sair de bom”. “Não desejo o fim do governo da presidente. Quero ganhar deles no voto, em 2018. Mas se acontecer algo antes, no sentido de interromper o mandato, estaremos em condição de fazer uma transição tranquila e assumir as rédeas”, completou.

O PSDB teme ser acusado de golpista, mas optou, durante a convenção do partido, por uma postura agressiva.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]