Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Greca (à esq.) e Fruet se reúnem no primeiro encontro entre os dois após o resultado da eleição | Aniele Nascimento/Gazeta do Povo/Arquivo
Greca (à esq.) e Fruet se reúnem no primeiro encontro entre os dois após o resultado da eleição| Foto: Aniele Nascimento/Gazeta do Povo/Arquivo

Mais de um mês depois de as comissões de transição entre as gestões de Gustavo Fruet (PDT) e Rafael Greca (PMN) terem sido instaladas, o prefeito eleito e sua equipe queixam-se de ainda não terem conseguido informações claras sobre as finanças municipais.

De acordo com Greca, falta clareza sobre diversos assuntos que envolvem as contas do município, entre eles, a disponibilidade de caixa para realização da Oficina de Música, em janeiro, a existência de dívidas com fornecedores do município e o atraso no repasse a instituições conveniadas, como por exemplo, o IPCC, responsável pela usina de recicláveis, pelas lojas Leve Curitiba e pelo Programa de Agentes Comunitários de Saúde.

Greca define secretário de Finanças e vai anunciar equipe completa na quinta-feira

Leia a matéria completa

Segundo o coordenador da equipe de transição de Greca e futuro secretário municipal de Governo, Luiz Fernando Jamur, essas informações foram as primeiras a serem solicitadas, já no dia 4 de novembro, um dia após a instalação dos grupos de transição. Entretanto, de acordo com a assessoria do prefeito eleito, a atual gestão respondeu outras solicitações, mas não as referentes à situação financeira da cidade.

Na última sexta-feira (9) foi realizada uma reunião entre a equipe de Greca e a secretária de Finanças, Eleonora Fruet. Entretanto, mesmo depois do encontro, a equipe do prefeito eleito disse ter saído sem as informações desejadas.

“Não temos ainda a situação geral das contas. A secretaria [Eleonora Fruet] vai nos enviar o balanço parcial para conhecimento e apreciação”, disse Luiz Fernando Jamur. Ele afirmou também que ainda não sabe qual será o volume de dívida que será deixado. “Sabemos, porém, que haverá, conforme informações da secretaria”, relatou.

Dívidas

Informações levantadas pelo Livre.jor para a Gazeta do Povo, apontam que Gustavo Fruet (PDT) deixará mais de R$ 400 milhões em dívidas criadas ou ampliadas em sua gestão para serem pagas a partir de 2017. O cálculo considera a as dívidas do município com o IPMC (Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Curitiba), o Conresol (Consórcio Intermunicipal de Gestão de Resíduos Sólidos Urbanos) e o ICS (Instituto Curitiba de Saúde), além de dívidas da Cohab (Companhia de Habitação) com o governo federal e o pagamento do terço de férias dos servidores da educação.

Administração Fruet explica as pendências

Em nota, a prefeitura afirmou que o processo de transição “transcorre com total transparência nas informações sobre a administração”.

“Os encontros entre as equipes vêm sendo realizados regularmente e neles já foram entregues vários documentos sobre a área financeira e projetos de investimentos, bem como recebidas novas solicitações envolvendo diversas áreas, as quais vêm sendo atendidas sem qualquer dificuldade”, informa a administração Fruet.

No entanto, o texto ressalva que algumas solicitações feitas pela equipe do prefeito eleito, as da área financeira especificamente, estão pendentes, devido ao “elevado nível de detalhamento solicitado” e a problemas técnicos nos sistemas da prefeitura. Segundo a administração Fruet, das sete solicitações feitas por Greca, cinco foram entregues parcialmente e duas ainda não foram atendidas.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]