Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Presidente Lula em visita a unidade de coque e hidrotratamento de diesel da Refinaria Henrique Lage (Revap), em São José dos Campos | Ricardo Stuckert / PR
Presidente Lula em visita a unidade de coque e hidrotratamento de diesel da Refinaria Henrique Lage (Revap), em São José dos Campos| Foto: Ricardo Stuckert / PR

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta segunda-feira (18), em São José dos Campos, que "muita gente tentou mudar o nome" e "vender" a Petrobras. Durante a inauguração de unidades de coque e hidrotratamento de diesel da Refinaria Henrique Lage, Lula destacou que a estatal foi fortalecida no atual governo.

"Se a gente analisar o que aconteceu com a Petrobras desde 1953, a gente vai perceber que essa empresa que nasceu desacreditada, essa empresa que até 1980 só fazia prospecção de 171 mil barris de petróleo, essa empresa que muita gente tentou vender, essa empresa que muita gente tentou mudar o nome dela, essa empresa que muitos editorias da década de 50 diziam que o Brasil não tinha que se meter a procurar petróleo, essa empresa chega em 2010 se transformando na segunda empresa de petróleo do mundo", disse.

Segundo Lula, o atual governo recuperou a indústria naval e priorizou a construção no Brasil de sondas e plataformas. "Às vezes como empresa era mais barato comprar uma plataforma em Cingapura. Do ponto de vista da empresa seria melhor. Agora, por conta de 150 milhões comprar plataforma lá fora a gente não teria gerado a quantidade de empregos que estamos gerando aqui, não teríamos recuperado a engenharia brasileira", defendeu.

O presidente afirmou ainda que a Petrobras aumentou seu valor de mercado com os investimentos feitos pelo governo nos últimos sete anos e meio. "Quando nós assumimos o governo, o valor patrimonial era de 15 bilhões de dólares. Hoje o valor patrimononial da Petrobras é de apenas 220 bilhões de dólares."

Lula disse que deixará o governo, em janeiro de 2011, com a "sensação de dever cumprido". Ele afirmou, no entando, que ainda há "muito" por fazer pelo país. "Não podemos consertar em oito anos os demandos de 500 anos", disse.

Campanha

O tema Petrobras tem sido utilizado com frequência nos debates e programas eleitorais dos dois candidatos à Presidência da República, Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB).

No horário eleitoral gratuito deste sábado (16), Dilma apontou a suposta intenção do tucano de privatizar a estatal, enquanto o programa de Serra atribuiu a alta de ações da Petrobras ao desempenho dele nas pesquisas eleitorais.

"É um crime privatizar a Petrobras e o pré-sal", declarou Dilma na parte inicial do programa. Segundo a petista, "eles [os tucanos] só pensam em vender o patrimônio público".

"As ações da Petrobras se valorizaram com o avanço de Serra nas pesquisas", disse um dos apresentadores do programa do tucano, mencionando reportagem de jornal.

No debate deste domingo (17), os dois candidatos também falaram da estatal. A petista disse que o adversário dá indicações de que deseja privatizar o petróleo do pré-sal, o que foi negado por Serra.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]