Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
A empresa de Marcelo Odebrecht terá 72 horas para indicar e justificar quais e-mails devem ser excluídos da investigação | Antônio More/Gazeta do Povo
A empresa de Marcelo Odebrecht terá 72 horas para indicar e justificar quais e-mails devem ser excluídos da investigação| Foto: Antônio More/Gazeta do Povo

O juiz federal Sérgio Moro autorizou a empresa Odebrecht a acessar parte dos documentos apreendidos na 14ª fase da Operação Lava Jato. Quando os mandados de busca e apreensão foram cumpridos na sede da empresa em São Paulo, no dia 19 de junho, arquivos considerados de sigilo profissional foram levados pela Polícia Federal. Por enquanto, a polícia não tinha investigado o conteúdo desses arquivos.

Na decisão de Moro, consta que e-mails da empresa com mensagens dos advogados e gestores Maria Pinto Lima Pacheco, Eduardo Oliveira Gedeon e Guilherme Pacheco de Brito seriam analisados na investigação. As atividades dos três citados estão sob investigação da operação. No entanto, antes de analisar esse material a empresa vai poder fazer uma triagem nos arquivos apreendidos.

A Odebrecht vai agendar com oficiais da Polícia Federal um horário para definir o que vai ser analisado na operação. A empresa terá 72 horas para indicar e justificar quais e-mails devem ser excluídos da investigação.

A empresa é acusada de participar de um esquema criminoso de cartel, pagamento de propinas em contratos da Petrobras e fraudes em licitações. A Odebrecht informou que não vai comentar a decisão.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]