Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Vida Pública
  3. Morre Fani Lerner, ex-primeira-dama do Paraná

Perda

Morre Fani Lerner, ex-primeira-dama do Paraná

Corpo da mulher do ex-governador Jaime Lerner foi velado no salão nobre da prefeitura de Curitiba

  • Gazeta do Povo
  • Atualizado em às
Fani lutava contra o câncer desde fevereiro de 1995 |
Fani lutava contra o câncer desde fevereiro de 1995
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Morre Fani Lerner, ex-primeira-dama do Paraná

Morreu, na madrugada desta quinta-feira (21), a ex-primeira-dama do Paraná Fani Lerner, mulher do ex-governador Jaime Lerner. Fani tinha 63 anos e lutava contra um câncer desde fevereiro de 1995, quando precisou ser submetida a uma cirurgia de emergência. Ela passou os últimos dias em seu apartamento, no bairro Cabral, em Curitiba, onde era atendida por médicos e enfermeiras.

O corpo da ex-primeira-dama foi velado no Salão Nobre da prefeitura de Curitiba. O sepultamento aconteceu por volta das 17 horas desta quinta-feira no Cemitério Israelita do bairro de Santa Cândida. Por motivos religiosos, a família pediu para que não fossem enviadas flores.

Nos três mandatos de prefeito e nos dois de governador do marido, Fani comandou a área de assistência à criança das gestões. Presente nas gestões do marido Jaime Lerner, ela assumiu em 1989 a pasta de secretária municipal da Criança de Curitiba, cargo que ocupou por seis anos. Fani exerceu também o mesmo cargo no Estado do Paraná, por oito anos, nos governos Jaime Lerner, de 1995 a 2002.

Durante suas gestões, criou 16 programas para crianças e adolescentes carentes. Também foram construídas cerca de 500 creches, que atenderam 485 mil crianças, de 0 a 6 anos de idade. Outro programa de destaque criado por Fani foi o Da Rua para a Escola voltado a promover o retorno à escola das crianças de rua, com o fornecimento de uma cesta básica de alimentos para suas famílias. O programa tirou da rua mais de 80 mil crianças.

Fani Lerner foi presidente da organização não-governamental Provopar (programa de trabalho voluntário), que trabalha em parceria com o governo do estado e a sociedade civil.

Em 2003, foi vencedora do Prêmio Kellogg’s para o Desenvolvimento da Criança, oferecido pela organização americana World of Children, em parceria com a instituição Hannah Neil. Foi a primeira vez que um latino-americano venceu o prêmio.

Filha de imigrantes judeu-poloneses que vieram para o Brasil para escapar do nazismo, Fani Lerner nasceu em Curitiba, Paraná. Quando tinha quatro anos de idade, tornou-se órfã de pai. Casada com o arquiteto Lerner desde 1964, deixa as filhas Andrea e Ilana e os netos Ben, Liana, Tobias e Sophie.

Luto

Em razão do falecimento de Fani Lerner, o governador do Paraná, Roberto Requião (PMDB), e o prefeito Beto Richa (PSDB) decretaram luto oficial de três dias. “É uma perda muito grande para os curitibanos. Todos nós aprendemos a admirar dona Fani, tanto pela pessoa gentil, otimista e vibrante, como pelo grande trabalho profissional que desempenhou nas funções públicas que ocupou”, disse Richa, em nota.

A presidente da Fundação de Ação Social (FAS), Fernanda Richa, ressaltou que o trabalho de Fani no desenvolvimento social tornou-se referência para todos aqueles que trabalham no setor. “Dona Fani fixou modelos, não apenas pelo trabalho que realizou na prefeitura de Curitiba e no Estado, onde realizou inúmeros programas e projetos de governo, mas também por sua atitude e seu comportamento na vida pública”, declarou Fernanda, também em nota.

O presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, Nelson Justus (DEM), também decretou luto oficial na Casa. “A Fani era uma mulher extraordinária, um ser humano especial, que se recusou a cumprir o papel tradicionalmente reservado às primeiras-damas e fez da sua participação nas administrações do Jaime um espaço para atuar, de forma incansável, em favor da criança. Ela mudou para melhor e de forma definitiva a vida de milhares de pequenos curitibanos e paranaenses com os programas sociais que criou. A sua falta, a partir de agora, só não é maior que a referência que ela deixa de amor e carinho pela gente do Paraná”, disse o presidente da Assembleia, em nota.

Por conta do luto, Justus determinou a suspensão de cerimônias públicas agendadas para esta quinta-feira no Legislativo estadual.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE