Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Valdemir Soares (PRB) | Bruno Covello/ Gazetado do Povo
Valdemir Soares (PRB)| Foto: Bruno Covello/ Gazetado do Povo

Pinga-Fogo

"Na minha campanha, eu recebi algumas ofertas, e eu educadamente acabei devolvendo. Não quero ter nada amarrado com ninguém. "

Christiane Yared (PTN),deputada federal eleita pelo Paraná, dizendo ter recusado doações para sua campanha por achar que elas trariam amarras para seu mandato

  • Christiane Yared (PTN)

Vereadores ligados à campanha de Valdemir Soares (PRB, foto) para a presidência da Câmara de Curitiba estão jogando com o "psicológico" do prefeito Gustavo Fruet (PDT), na tentativa de fazer com que ele apoie formalmente o candidato. A ideia é dizer que Fruet precisa ter um aliado na presidência da Câmara. E afirmar que, se Fruet não entrar no barco, Valdemir ganhará do mesmo jeito, mas com apoio do grupo de Luciano Ducci (PSB) e Beto Richa (PSDB). Valdemir tem espalhado aos quatro ventos que já teria pelo menos 22 dos 38 votos da Câmara. O jogo de Valdemir é ter o apoio de Ducci na manga. Com essa lógica, se Fruet o apoiasse, ganharia um aliado. Se apostar no candidato do PT, Pedro Paulo, e perder, pode ter na Câmara um presidente interessado em alavancar a candidatura de um adversário.

Panterão 1

A Câmara de Curitiba marcou para a próxima segunda-feira a primeira votação do polêmico projeto que cria um ônibus exclusivo para mulheres na cidade. Apelidado de "Panterão", o ônibus foi sugerido pelo vereador Rogério Campos (PSC), e serviria como modo para diminuir o risco de abusos contra mulheres, especialmente nos horários mais tumultuados.

Panterão 2

A ideia foi criticada por grupos ligados aos direitos das mulheres e foi questionada até mesmo pelas comissões internas da Câmara. Alguns ajustes mínimos foram feitos, mas só por questões econômicas ou formais: por exemplo, o ônibus inicialmente seria pintado de rosa, mas depois essa sugestão caiu por terra porque isso traria custos para a prefeitura.

O governo sabia?

A chefe da Defensoria Pública paranaense, Josiane Fruet Lupion, disse ontem à rádio CBN que o governo do estado foi informado de todas as promoções que ocorriam. Segundo ela, as informações eram repassadas sempre para a Secretaria da Fazenda. As promoções foram reveladas pela Gazeta do Povo, que mostrou que, ainda durante o estágio probatório, defensores tiveram seus salários aumentados em 87% em menos de um ano. Na semana passada, o governador Beto Richa (PSDB) considerou os aumentos uma "farra" e disse que isso era "inaceitável".

Emenda educativa

O deputado federal Esperidião Amin (PP-SC) vai apresentar uma emenda "educativa" ao recém-criado projeto que desobriga o governo federal de fazer superávit primário. Amin quer aplicar uma multa de R$ 1 à presidente Dilma Rousseff, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e ao secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin. "Não quero deixar ninguém pobre. Quero um ato de contrição dos nossos gestores, por esconderem os problemas das contas públicas brasileiras", justifica o parlamentar catarinense.

Colaboraram: Rogerio Galindo e André Gonçalves.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]