i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Congresso

Oposição nega acordo em CPI da Petrobras, esvaziada pela base aliada

Parlamentares da base aliada não apareceram na sessão. Sem quórum mínimo de 17 integrantes, o colegiado fica impedido de votar requerimentos

  • PorFolhapress
  • 11/11/2014 14:54

A oposição entrou na sessão na CPI da Petrobras desta terça-feira (11) disposta a quebrar o acordo de não convocar agentes políticos, acertado com a base aliada na semana passada. O deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), que sete dias atrás confirmou ter havido um compromisso de não se levar políticos para depor, pediu a palavra no início da reunião. Ele atacou o relator do colegiado, deputado Marco Maia (PT-RS), que não foi ao Congresso por estar hospitalizado após um acidente de moto.

O tucano acusou o petista de ter cometido estelionato político na entrevista em que anunciou o acordo para blindar políticos."O relator mentiu, mentiu, dizendo que tinha acordo para poupar quem quer que fosse. Minha história não combina com acordo".

O deputado oposicionista concluiu dizendo defender a convocação de Leonardo Meirelles, apontado como laranja do doleiro Alberto Youssef e o responsável por delatar pagamento de propina a tucanos com dinheiro desviado da Petrobras.

Sampaio afirmou ainda querer a ida, como depoentes, da senadora Gleisi Hoffmann, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, e o tesoureiro do PT João Vaccari Neto, todos citados em delações premiadas de Youssef e do ex-diretor de Abastecimento da estatal Paulo Roberto Costa.

Base aliada

Parlamentares da base aliada não apareceram na sessão. Sem quórum mínimo de 17 integrantes, o colegiado fica impedido de votar requerimentos. Com isso, foram adiadas as apreciações de pedidos de convocação e convites que estão na pauta da CPI.

A manobra foi criticada pela oposição. "Boicote, mais uma vez da bancada do PT, da presidente Dilma. Infelizmente, assistimos a ausência dos deputados da base do governo", acusou Mendonça Filho (DEM-RS).Já Enio Bacci, deputado gaúcho do PDT, pediu a palavra para fazer uma denúncia: sem dar nomes, afirmou ter sido pressionado por colegas a não ir à sessão desta quarta-feira. "Disseram que eu seria substituído, se aqui comparecesse. Se eu não estiver aqui na semana que vem, é porque vim dar quórum hoje", previu Bacci.

Até o momento, parlamentares da oposição estão insistindo para que, caso se atinja o número de 17 integrantes antes do fim da sessão, o presidente do colegiado, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), paute os requerimentos pendentes. Na segunda etapa da reunião, a CPI começou a ouvir o depoimento do gerente de Contratos da Petrobras, Edmar Diniz de Figueiredo.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.