Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Sciarra: sem "tratoraço" | Brunno Covello/Gazeta do Povo
Sciarra: sem "tratoraço"| Foto: Brunno Covello/Gazeta do Povo

O chefe da Casa Civil do governo Beto Richa (PSDB), Eduardo Sciarra (PSD), afirmou à Rádio CBN nesta quarta-feira (18) que os projetos do "pacotaço" do Executivo deverão ser reenviados para a Assembleia Legislativa no início da semana que vem. Segundo Sciarra, o governo vai usar os três dias úteis desta semana (quarta, quinta e sexta-feira) para discutir o que será feito das propostas.

O primeiro passo para decidir se haverá modificações nos projetos será uma reunião marcada para esta quinta-feira com a APP-Sindicato, que representa os professores estaduais. "Estamos primeiramente abrindo o diálogo com a APP-Sindicato, e esta reunião, que acontecerá amanhã [nesta quinta], tem como objetivo colocar em discussão pontos que foram levantados pela própria APP", disse.

Imagina-se que as propostas serão fatiadas, para tentar facilitar a aprovação. Dessa vez, a diferença já garantida pelo governo é de que não haverá "tratoraço": ou seja, tudo terá que passar pelas comissões da Assembleia.

Segundo o chefe da Casa Civil, a ideia é que o governo consiga um acordo com os professores para encerrar o quanto antes a greve da rede pública de ensino. "Nosso desejo é o início imediato das aulas, são 200 dias letivos que têm de ser cumpridos. A negociação avançou em vários itens e queremos estabelecer essa mesa de negociações para que tenhamos a normalidade das aulas na rede pública", disse.

Pagamentos

De acordo com o secretário, todas as indenizações dos professores temporários, que não foram pagas na semana passada, serão quitadas na semana que vem: são R$ 84 milhões que o governo deve a cerca de 29 mil funcionários demitidos em janeiro. Já o terço de férias do funcionalismo começará a ser pago neste mês e terá mais duas parcelas em março e abril.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]