Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Graça Foster: rumores dão como certa a saída dela da Petrobras | Hugo Harada/Gazeta do Povo
Graça Foster: rumores dão como certa a saída dela da Petrobras| Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

Auditoria

Estatal responsabiliza ex-gerente por irregularidade que ela diz que denunciou

Kelli Kadanus

Uma auditoria interna da Petrobras, concluída em novembro, responsabiliza a ex-gerente executiva de abastecimento da estatal Venina Velosa da Fonseca por uma das irregularidades que ela alega ter alertado a cúpula da empresa. O caso envolve a contratação da Alusa Engenharia para obras da Refinaria Abreu e Lima (PE). A contratação para construção de uma casa de força da refinaria teria sido fechada por R$ 966,1 milhões, mas terminou custando R$ 1,2 bilhão depois de 15 aditivos acrescentados no contrato original. A Gazeta do Povo não conseguiu localizar Venina . Na empresa Alusa , ninguém foi encontrado para conceder entrevista.

Diante dos rumores de que a presidente da Petrobras Graça Foster será demitida do cargo, o Planalto e a estatal montaram ontem uma ofensiva para protegê-la das acusações de que ela saberia das denúncias de irregularidades na empresa antes de elas virem à tona.

Em nota, a Petrobras disse que Graça não foi informada sobre irregularidades na Petrobras pela gerente da estatal Venina da Fonseca em 2009 e 2012, mas somente em novembro deste ano. Na semana passada, reportagem do jornal Valor Econômico informou que Venina, que foi gerente executiva da Diretoria de Abastecimento, notificou Graça por meio de e-mails sobre pagamentos indevidos feitos pela estatal já em 2009, quando a atual presidente da Petrobras ocupava a Diretoria de Gás e Energia. Venina alega que voltou a enviar mensagem a Graça após ela ter assumido o comando da empresa, em fevereiro de 2012.

Em outra frente, o vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), afirmou que não há "acusação formal" contra Graça Foster, mas sim "pessoal". O ministro José Eduardo Cardozo (Justiça) disse que não há indícios contra a presidente da Petrobras que justifique o afastamento dela da direção da estatal. Além das acusações de Venina, na semana passada o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, sugeriu que toda a diretoria da empresa fosse substituída.

Já a presidente Dilma Rousseff evitou ontem falar sobre a possibilidade de Graça Foster sair do cargo. Ao final de uma cerimônia em Brasília, Dilma foi questionada sobre o assunto pelos jornalistas e disse que não iria falar .

Inevitável

Apesar das declarações em defesa de Graça Foster, nos bastidores da política e entre agentes do mercado a saída da presidente da estatal é vista como inevitável – principalmente após a forte desvalorização das ações da estatal na bolsa. Nomes de possíveis substitutos já começaram a ser cotados. Um deles, o presidente da Vale, Murilo Ferreira, negou ontem que tenha sido convidado pela presidente Dilma para assumir a presidência da Petrobras.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]