O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a dizer nesta terça-feira (8) que os políticos costumam valorizar as classes pobres apenas durante as campanhas eleitorais. Segundo ele, antes das eleições "pobre é mais chique que banqueiro" para os candidatos, mas é logo ignorado pelos futuros dirigentes.

"É importante lembrar que a maioria dos políticos só gosta de pobre em época de eleição. Em época de eleição, pobre vira mais chique do que banqueiro. Em época de eleição, ninguém fala mal de pobre. Depois das eleições, eles nunca mais querem falar com pobre a não ser na próxima eleição", criticou Lula, em Fortaleza, durante aula inaugural do Projovem Urbano- programa que tem por objetivo investir na formação educacional e profissional jovens.

O presidente pediu empenho aos alunos e lembrou da infância pobre que teve em Pernambuco. "Vocês precisam botar na cabeça que vocês serão o que quiserem. Nenhuma mulher ou homem pode desistir do que querem por causa da adversidade. Quem tiver esse comportamento será um fracasso na sua passagem pela Terra", afirmou.

Lula disse ainda que vai continuar trabalhando com política no Brasil após o término do mandato, em janeiro de 2010. Segundo o presidente, "vai quebrar a cara" quem pensar que ele vai viver viajando pelo exterior após deixar o governo.

"Eu vou deixar a presidência dia 31 de dezembro. Vocês podem ficar certos de que quem imaginar que vou deixar a política e viajar para o estrangeiro vai quebrar a cara. Quem imaginar que eu vou ficar em casa enchendo o saco da Dona Marisa vai quebrar a cara", afirmou Lula. "Vou continuar fazendo política, vou continuar lutando por esse país", concluiu o presidente.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]