i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Eleições 2014

Presidente da Câmara deve decidir até o fim do mês se será candidato

Henrique Alves se tornou a principal aposta do PMDB ao governo do RN depois que seu primo, o ministro Garibaldi Alves (Previdência), não demonstrou interesse na disputa

  • PorFolhapress
  • 17/03/2014 19:23

O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), deve decidir até o fim do mês se será candidato ao governo do Rio Grande do Norte. Alves se tornou a principal aposta do PMDB no Estado depois que seu primo, o ministro Garibaldi Alves (Previdência), não demonstrou interesse na disputa.

Segundo interlocutores, o presidente da Câmara costura apoios, inclusive do PSB e do PSDB, partidos de presidenciáveis oposicionistas, para tentar se viabilizar eleitoralmente e definir seu futuro político.

A candidatura dele vem ganhando força depois que o PMDB começou a travar uma disputa com o PT para as eleições de outubro diante da insatisfação com o espaço do partido no primeiro escalão do governo Dilma Rousseff.

Com aval de Alves, inclusive, o PMDB comandou uma rebelião na base aliada da Câmara que impôs derrotas ao Planalto e fez o governo acelerar a reforma ministerial para atender aliados.

Outra questão é que o acordo entre PT e PMDB para revezarem o comando da Câmara termina no fim deste ano. O receio do PMDB é que o PT volte a eleger a maior bancada, o que poderia dificultar a reeleição de Alves para a cúpula da instituição. Com 11 mandatos de deputado, se desistir de concorrer a uma nova vaga na Casa, Alves pode pavimentar uma eventual candidatura do líder do PMDB, Eduardo Cunha (RJ), ao comando da Câmara.

Em contrapartida, o PT vai discutir na próxima quinta-feira se oferecerá apoio a uma eventual candidatura de Alves ao governo do Rio Grande do Norte. O Diretório Nacional se reúne, em Brasília, para tratar da crise com o PMDB e os rumos das alianças estaduais.

Uma corrente do partido defende que o partido lance candidaturas próprias do PT apenas na Bahia e no Piauí e faça acenos aos aliados nos outros Estados. Ao PMDB, seria ofertado apoio em Alagoas, Maranhão, Paraíba e no Rio Grande do Norte, por exemplo.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.