Cartaz na Esplanada dos  Ministérios pede a saída de Dilma: reação do PT. | Ueslei Marcelino/Reuters
Cartaz na Esplanada dos Ministérios pede a saída de Dilma: reação do PT.| Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

O Partido dos Trabalhadores (PT, um dos alvos dos protestos de domingo (16) em todos os estados do país, voltou a condenar, nesta segunda-feira (17), os ataques a legenda, ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e ao governo da presidente Dilma Rousseff. Em nota, assinada pela executiva nacional, o partido diz que os ataques “não escondem seus propósitos conservadores e antidemocrá́ticos, exigindo uma reação imediata do nosso partido e do campo democrático e popular.”

“Diante da gravidade do momento político e da ofensiva da direita contra as liberdades democráticas e os direitos humanos, políticos e sociais, o PT conclama o engajamento nacional da militância petista no calendário de mobilizações em defesa da democracia, das reformas estruturais e por mudanças na política econômica”, diz a nota que termina com a conclamação dos militantes para mobilização nas ruas na próxima quinta-feira (20).

“O Partido dos Trabalhadores apoia e orienta a participação dos petistas na mobilização unitária dos movimentos sociais e partidos de esquerda no próximo dia 20 de agosto e as iniciativas de constituição, nos estados e nacionalmente, de uma frente democrática e popular”.

Durante reunião de domingo (16) no Palácio da Alvorada após os protestos, os governistas reconheceram que há insatisfação das pessoas com os rumos do governo. A avaliação feita na reunião com a presidente é que o governo não está conseguindo mostrar para a população que está se esforçando para corrigir os rumos da economia. Outra conclusão é que a população vincula os desmandos investigados pela Lava Jato à presidente Dilma e ao ex-presidente Lula.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]