i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Notas políticas

Pura ironia

  • Porcaroline olinda - notaspoliticas@gazetadopovo.com.br
  • 13/11/2012 21:11
 | Geraldo Magela/Ag. Senado
| Foto: Geraldo Magela/Ag. Senado

O senador Mário Couto (PSDB-PA, foto) – que no mês passado, sem citar nomes, chamou os colegas da Casa de ladrões – teve bens bloqueados pela Justiça do Pará por suposto envolvimento em um esquema de fraudes em licitações na Assembleia do Pará, quando foi presidente do Legislativo estadual (2003-2007). O caso ganhou repercussão pela descoberta da contratação de uma fábrica de tapioca para realizar serviços de engenharia, entre outras supostas fraudes. O senador afirma que não tinha conhecimento dos casos. O Ministério Público do Pará pede que Couto e outros acusados devolvam R$ 13 milhões aos cofres públicos, valor das licitações no período de 2004 a 2007. Foi justamente desse valor de R$ 13 milhões que o juiz Elder da Costa determinou o bloqueio dos bens de Couto e outros cinco acusados. Como presidente da Assembleia, cabia ao atual senador Mário Couto ordenar e fiscalizar a execução de despesas, motivo pelo qual é um dos acusados na ação. Couto diz que também irá recorrer da decisão.

Menos imposto

Os deputados da bancada governista na Assembleia Legislativa estão atentos a um projeto de lei que pode reduzir a incidência do ICMS no Paraná. O projeto do deputado Ney Leprevost (PSD) prevê redução do imposto para produtos voltados para idosos e crianças. A ala governista considera o projeto polêmico por se tratar de redução do imposto. A ordem é apreciar com calma e aguardar uma orientação do Executivo.

Escoteiros 1

A disputa pela presidência da Câmara de Curitiba deve esquentar nas próximas semanas. Nos bastidores, os tucanos já avisaram ao vereador Paulo Salamuni (PV), que tem dito aos quatro cantos que vai ser o próximo presidente, que ele terá de dar explicações sobre a destinação de duas emendas para a União dos Escoteiros do Brasil – entidade a que ele era ligado.

Escoteiros 2

Em 2008, foram R$ 250 mil para a realização da 39ª Conferência Mundial do Escotismo, realizada em Curitiba em 2011. No ano passado, Salamuni solicitou mais R$ 150 mil para a instituição, para a realização de obras.

ONG premiada

O Observatório Social de Maringá, uma organização não governamental que monitora os gastos municipais, recebeu ontem o Prêmio Transparência e Fiscalização Pública da Câmara Federal. A condecoração é concedida anualmente, desde 2004, a entidades e pessoas físicas que tenham contribuído para a fiscalização do setor público. O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), também recebeu o prêmio.

Pensando longe

O PT do Paraná já começou a se movimentar pensando na eleição para o governo do estado em 2014. O deputado federal André Vargas (PT) deve ser o candidato do partido a uma cadeira no Senado Federal. O PT torce agora por um racha no PMDB e que o ex-governador Roberto Requião dispute o governo. Com Requião no páreo, os petistas imaginam que o caminho de Gleisi Hoffmann para o governo ficará mais fácil.

Pinga-fogo

"Vou fazer uma gestão com muita clareza, muita simplicidade e transparência. Só isso."

Joaquim Barbosa, ministro do STF e próximo presidente da corte, sobre como será seu mandato no comando do Supremo. Ontem, ele esteve com o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), para convidá-lo a participar de sua posse, marcada para o dia 22.

* * * * *

Colaboraram: Karlos Kolhbach e Rosana Félix.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.