Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Ricardo Barros, titular da Indústria e Comércio, quer voltar para a Câmara Federal | Henry Milléo/ Gazeta do Povo
Ricardo Barros, titular da Indústria e Comércio, quer voltar para a Câmara Federal| Foto: Henry Milléo/ Gazeta do Povo

Mudanças

Fazenda e Segurança já têm novos titulares desde a semana passada

Na semana passada, as pastas da Fazenda e da Segurança Pública ganharam novos titulares. Para gerir as finanças do estado, Jozélia Nogueira deu lugar a Luiz Eduardo Sebastiani. A saída de Jozélia, oficialmente, ocorreu por motivos particulares. No entanto, especula-se que ela teria saído por atuar com mão de ferro na gerência das contas do estado, desagradando outros secretários e os deputados da base.

Leon Grupenmacher, que era diretor-geral da Polícia Científica, assumiu a Segurança Pública. Ele substituiu o procurador de Justiça Cid Vasques. Inicialmente, o governador queria para o cargo o delegado da Polícia Federal José Alberto Iegas, atual diretor do Departamento de Inteligência do órgão federal. Porém, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, não cedeu Iegas ao governo paranaense.

  • Reinhold Stephanes, que comanda a Casa Civil, quer se reeleger deputado federal
  • Ratinho Jr, da secretaria do Desenvol­vimento Urbano, disputará uma vaga na Assembleia

A substituição de secretários do governo do Paraná que vão disputar as eleições de outubro só deve ser feita perto do prazo final para a desincompatibilização, dia 5 de abril, seis meses antes das eleições. Estima-se que em sete pastas haverá mudança de comando e, embora o governo não confirme quem serão os substitutos, fontes do Palácio Iguaçu indicam que quem deve assumir são diretores-gerais ou funcionários ligados à administração das secretarias, a fim de evitar reviravoltas na administração e garantir a continuidade dos projetos.

Beto Richa (PSDB) não revela nomes nem quando as trocas serão feitas, mas as mudanças deverão ocorrer apenas perto da data limite. A legislação eleitoral estabelece que quem está no cargo de secretário estadual e vai concorrer a um mandato eletivo precisa se afastar da função até seis meses antes do pleito, do contrário, fica inelegível. Nesse ano, o último dia para exercício do cargo é dia 4 de abril e a desincompatibilização tem de acontecer até o dia seguinte.

Na Casa Civil e nas secretarias de Indústria e Comércio, de Esportes, de Assuntos Estratégicos, de Desenvolvimento Urbano, de Meio Ambiente e de Trabalho deve ocorrer troca de chefia. Em pelo menos duas delas já se cogita que quem assume será quem hoje está no cargo de diretor-geral. Essa escolha seria fundamental para manter projetos que estão em andamento. Nas outras cinco, a sistemática deve se repetir. Em todas as pastas, os secretários atuais ficam no cargo até os últimos dias antes do impedimento legal.

Luiz Claudio Romanelli (PMDB), atual secretário do Trabalho e Emprego, deve ceder lugar a Amin Hanuch, que é diretor-geral da pasta e foi prefeito de Cornélio Procópio, no Norte do estado. Romanelli vai tentar a reeleição como deputado estadual.

Para a chefia da secretaria de Desenvolvimento Urbano, hoje nas mãos de Ratinho Jr. (PSC), deve assumir João Carlos Ortega. Ratinho também vai concorrer a uma cadeira na Assembleia Legislativa.

Mudanças

Os atuais titulares das secretarias de Indústria e Comércio (Ricardo Barros), Casa Civil (Reinhold Ste­phanes), Evandro Roman (Esportes) e Edson Casagrande (Assuntos Estratégicos) devem concorrer ao cargo de deputado federal. Além de Ratinho Jr e Romanelli, Luiz Claudio Cheida, que é secretário do Meio Ambiente, também tentará uma cadeira na Assembleia Legislativa.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]