i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Contas públicas

Senado anuncia divulgação detalhada de gastos dos senadores

Mesa Diretora decidiu seguir posição anunciada pela Câmara. Nas duas casas, divulgação começa em abril e não inclui gastos antigos

  • PorG1/Globo.com
  • 05/03/2009 15:32

A Mesa Diretora do Senado decidiu nesta quinta-feira (5) pela divulgação detalhada dos gastos dos senadores com a verba indenizatória, que soma R$ 15 mil mensais e é utilizada para despesas relativas ao mandato. Segundo o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), será seguido o método de divulgação anunciado pela Câmara. Nas duas casas, a publicação detalhada dos gastos começará em abril.

O presidente do Senado fez o anúncio da decisão e disse que a intenção é dar "total transparência" a estes gatos. "Vamos publicar da mesma maneira que a Câmara fará, seguindo o mesmo ato. Vamos dar total transparência".

Sarney disse que estará dentro dos dados que passarão a ser divulgados a informação do CNPJ das empresas que venderam mercadorias ou serviços para os parlamentares. "Vamos colocar todas as informações sobre isso".

O presidente disse que a medida começa a valer a partir de abril porque existe um tempo necessário para adequar a prestação de contas e o sistema que permitirá a publicação na internet. Assim como na Câmara, não serão divulgados os gastos realizados antes desta decisão. "O passado nós não temos condições de fazer", disse Sarney.

Ele voltou a defender o fim desta verba, mas ressaltou que o assunto depende de negociação com a Câmara. "Acho que deveríamos nos encaminhar neste sentido (de acabar com a verba), mas tem ser uma ação conjunta com a Câmara e será necessária uma articulação política". Sarney disse ainda não ter discutido o assunto com o presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP).

Corte de gastos

O presidente do Senado afirmou que existe a intenção de ampliar o corte de gastos na Casa. Ao assumir, ele anunciou um corte de R$ 51 milhões nas despesas. Para isso, suspendeu licitações em andamento, cortou ramais de telefone, restringiu serviços da gráfica, além de reduzir o pagamento de diárias e cursos a servidores. Sobre as licitações suspensas, ele afirmou que está "analisando uma a uma".

Ele disse que aguarda agora um estuda da Fundação Getúlio Vargas para saber se existem outros cortes possíveis. Uma das tentativas é reduzir os gastos com pessoal. "Essa é uma das coisas que pretendemos fazer na reforma administrativa. A Fundação Getúlio Vargas está examinando uma maneira de diminuir os gastos". Para ele, ainda há "muita gordura" para cortar em toda a administração.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.