Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

Ação Penal 470

STF manda prender Valdemar Costa Neto e mais três

A Polícia Federal está buscando os ex-deputados Pedro Corrêa e Bispo Rodrigues e o ex-diretor do Banco Rural Vinícius Samarane. Costa Neto anunciou renúncia para não enfrentar processo de cassação

  • Gazeta do Povo, com agências
  • Atualizado em às
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) expediu mandados de prisão contra o deputado Valdemar Costa Neto (PR-SP) e mais três condenados no processo do mensalão (Ação Penal 470). Além de Costa Neto, a Polícia Federal está buscando os ex-deputados Pedro Corrêa (PP-PE) e Bispo Rodrigues (ex-PL atual PR-RJ), e o ex-diretor do Banco Rural Vinícius Samarane. Costa Neto foi condenado a 7 anos e 10 meses de prisão; Pedro Corrêa pegou 7 anos e 2 meses e Bispo Rodrigues 6 anos e 3 meses. Os três foram condenados por lavagem de dinheiro e corrupção passiva. Samarane, por sua vez, foi condenado a 8 anos e 9 meses por gestão fraudulenta e lavagem de dinheiro.

Logo após o anúncio do pedido de prisão, o deputado Valdemar Costa Neto apresentou carta de renúncia ao seu mandato de deputado federal, que foi lida em plenário pelo deputado Luciano Castro (PR-RR). A renúncia encerra qualquer possibilidade de processo de cassação do mandato pela Câmara. Na carta, o deputado diz que renunciou para não impor ao Parlamento "mais um constrangimento institucional".

Costa Neto também alega inocência. "Reitero que fui condenado por crimes que não cometi. Serenamente, passo a cumprir uma sentença de culpa, flagrantemente destituída do sagrado duplo grau de jurisdição", diz a carta. "Serenamente passo a cumprir uma sentença de culpa, flagrantemente destituída do sagrado direito ao duplo grau de jurisdição", continua. "Inspirado pelo respeito aos eleitores que me delegaram a representação que traz uma extensa folha de serviços prestados, renuncio ao meu mandato de deputado federal da República Federativa do Brasil", conclui.

Ele é o segundo deputado a renunciar ao mandato depois de condenação no processo do mensalão. Nesta semana, o então deputado José Genoino (PT-SP) também renunciou para evitar o processo de cassação. Costa Neto já havia renunciado ao mandato de deputado federal em 2005, após ter o nome associado, pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Correios, ao escândalo do mensalão, o mesmo que deu origem ao processo no Supremo Tribunal Federal.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Vida Pública

PUBLICIDADE