Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Idosos correm mais risco de ter lesões nos ombros: exercícios devem ser feitos sempre com orientação. Foto: Bigstock.
Idosos correm mais risco de ter lesões nos ombros: exercícios devem ser feitos sempre com orientação. Foto: Bigstock. | Foto:

Movimentos rotineiros que deixam o braço para o alto — como os que fazemos para fechar um portão ou janela  — devem ser realizados com atenção, sobretudo nos idosos: esforços repetitivos ou inadequados podem causar dores nos ombros, e até mesmo lesões.

Devido a um maior desgaste físico e quedas, pessoas de mais idade têm maiores chances de serem acometidas com problemas nesta parte do corpo, diz o médico e cirurgião de ombro e cotovelo Vagner Messias Fruehling.

>> Assine a Gazeta do Povo: Onde os valores fazem parte da notícia! <<

Pessoas que exercem profissões que trabalham com a elevação excessiva do braço e com esforço, como professores, mecânicos e estoquistas também estão mais suscetíveis.

Outra situação que representa riscos de lesões tendinosas, se for realizada de maneira errônea e sem orientação, são exercícios na academia como os com barra atrás da nuca, ou supino com a pegada mais afastada.

Já a luxação no ombro, temida por muitos, não ocorre por movimentos, mas em situações de traumas e quedas, diz o médico ortopedista Bernardo Luz.

Ela também é comum em pacientes mais jovens, abaixo dos 40 anos.

Causas englobam hábitos de vida 

O número de cirurgias para reparo de um tendão rompido costuma ser muito maior na faixa etária acima dos 50 anos.

No entanto, é importante considerar que as causas das lesões nos ombros são multifatoriais, ou seja, envolvem hábitos do paciente como o uso de bebida alcoólica e cigarro, histórico familiar e questões genéticas, além das já citadas atividades com o braço no alto.

Vale lembrar que nem todos os casos exigem a intervenção cirúrgica. Dependendo da situação é possível o tratamento com fisioterapia.

Atualmente, um dos motivos de preocupação dos médicos é a resistência dos pacientes em fazer a cirurgia quando necessária. Adiar o procedimento pode levar ao agravamento da situação e ao aparecimento de complicações.

Prevenção em casa e para se exercitar 

Exercícios como hidroterapia, hidroginástica e natação devem ser feitos com cautela no caso dos pacientem que apresentam dor no ombro, já que nessas atividades os braços permanecem elevados para fora da água, podendo piorar os sintomas.

A orientação vale também para idosos que praticam exercícios com carga (como a musculação) — o acompanhamento profissional é essencial para acompanhar a carga ideal, evitando lesões.

Manter  postura no dia a dia e evitar deixar objetos pesados no alto são algumas atitudes que ajudam na prevenção.

LEIA TAMBÉM

 

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]