i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Saúde e Bem-Estar

Creatinina elevada aponta para mau funcionamento dos rins

Hipertensos, diabéticos e pessoas com problemas nos rins devem fazer o exame da creatinina com mais freqüência

  • PorAmanda Milléo
  • 04/12/2019 10:00
(Foto: Bigstock)
(Foto: Bigstock)| Foto:

Entre os exames mais comuns pedidos pelos médicos, a creatinina ocupa uma das primeiras posições.

A verificação da quantidade de creatinina no organismo pode ser medida via sangue ou mesmo pela urina, e está diretamente relacionada à saúde dos rins.

Creatinina é uma substância que surge da degradação de uma enzima muscular, a fosfocreatina.

Quando maior for a quantidade de músculos de determinada pessoa, maiores serão as taxas de creatina no organismo, e é por isso que os valores de referência (que indicam se há uma quantidade adequada ou não da substância) mudam conforme gênero, idade e hábitos.

“Entre uma pessoa magra e uma pessoa mais musculosa, há alteração nas taxas de creatinina. Da mesma forma, um fisiculturista pode ter taxas altas e não representar algo negativo na saúde”, explica o médico endocrinologista Mauro Scharf.

>> Assine a Gazeta do Povo: Onde os valores fazem parte da notícia! <<

Os médicos se preocupam com a creatinina no organismo porque, quando ultrapassam os valores de referência, pode indicar que os rins não estão fazendo o papel de filtros de forma eficaz e não estão eliminando a substância.

Se não eliminam a creatinina, também não eliminam outras substâncias, e isso sinalizaria uma possível insuficiência renal.

“Se a pessoa tiver histórico na família de problemas renais, é hipertenso ou diabético, ou tem alguma doença que afeta os rins, a realização do exame deve ser mais frequente, talvez a cada seis meses, dependendo da indicação médica. Caso contrário, uma vez ao ano”, explica o bioquímico Marcos Kozlowski.

A mesma periodicidade vale para quem faz uso de medicamentos que afetam os rins, como alguns antibióticos e antiinflamatórios.

Os dados desse exame, porém, não devem ser interpretados de forma isolada. Quando os rins não funcionam corretamente, outras substâncias também não são eliminadas da forma correta, como as proteínas, e a pessoa pode ter sinais como inchaço por retenção de líquidos.

Exame de sangue

Embora a forma mais comum de identificação da creatinina seja através de um exame de sangue tradicional, há também a opção de coleta urinária, que verifica a taxa de filtração glomerular.

A orientação, conforme os especialistas, é de que alguns pacientes façam os dois exames, para comparação dos resultados.

“No caso do exame de sangue, se for feito só a creatinina, não tem necessidade de fazer o jejum. Mas não é indicado fazer exercícios físicos de forma intensa e, em seguida, colher o sangue para o exame”, orienta Kozlowski.

Em geral, 0.7 – 1.4 mg/dL são os valores de referência para o exame da creatinina em homens. Nas mulheres, as taxas variam entre 0.5 a 1.0 mg/dL.

LEIA TAMBÉM

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.