Patrocínio

Hospital Pilar X-Leme Diagnóstico Por Imagem Mantis Diagnósticos Avançados

Por que levamos “choques” ao encostar em um objeto ou pessoa? Física explica

O corpo humano permite que cargas elétricas (os elétrons) se movimentem livremente, possibilitando a passagem de corrente elétrica

Sabe aquela sensação de choque e um estalinho? Veja por que sentimosSabe aquela sensação de choque e um estalinho? Veja por que e quando mais sentimos Foto: Bigstock.

Já aconteceu uma vez e com certeza acontecerá novamente com você. Ao encostar em algum objeto ou pessoa, sente aquele estalinho e a sensação de choque. Isso é ainda mais comum em locais muito frios e com períodos sem chuva.

Mas o que é esse “choque”?

Conforme explica Larissa Moletta, professora de Física do Colégio Positivo Master, em Ponta Grossa (PR), todos os corpos são formados por átomos, que são compostos de prótons e elétrons. Quando o corpo possui a mesma quantidade de prótons e elétrons, dizemos que ele é neutro. Mas, em certas situações, (atrito ou contato entre materiais), os corpos podem ganhar ou perder elétrons. Esse processo de perda ou ganho de elétrons chama-se eletrização.

“O corpo humano é um bom condutor de eletricidade, ou seja, permite que cargas elétricas (os elétrons) se movimentem livremente, possibilitando a passagem de corrente elétrica. Muitas vezes o nosso corpo fica tão eletrizado (com acúmulo de elétrons) que acaba descarregando essa energia no primeiro objeto condutor (metal ou o corpo de outra pessoa, por exemplo) que aparece pela frente. Essa movimentação de cargas elétricas acontece de maneira tão veloz que conseguimos até sentir, e essa sensação é o que chamamos de choque”, explica a professora.

É comum percebermos esse choque quando encostamos em objetos de metal como a porta do carro, o registro do chuveiro, a maçaneta de uma porta, ou quando encostamos em outra pessoa, pois todos são bons condutores de eletricidade que permitem que a corrente elétrica flua no material.

“Há uma tendência que nos mostra que em dias frios e secos os corpos eletrizados tendem a ficar mais tempo carregados e se acumulam em maior quantidade nas superfícies. Essas cargas são transmitidas quando encostamos em outra pessoa ou objeto. Por isso, no inverno e na época de estiagem, a ocorrência de choques é mais frequente, pois nosso corpo e os outros materiais condutores acumulam mais energia”, explica a professora.

Em épocas mais frias as pessoas usam calçados com sola de borracha, blusas de lã ou tecidos sintéticos. “Esses materiais, em movimento, acumulam carga”, completa.

E quando acontece entre duas pessoas, de quem é a culpa pelo choque?

Nesse caso, pode ser de ambas, o que aumentaria a intensidade do choque, ou de apenas uma pessoa, que esteja mais carregada. “Ambos irão sentir a corrente elétrica passando, que é como se fosse uma descarga elétrica”, esclarece a professora.

Mas não é motivo para se preocupar, pois a intensidade da corrente elétrica é na faixa de 2mA (miliampére), o que não significa risco à saúde.

Como evitar os choques

– Usar calçados que não são de borracha;

– Evitar roupas de lã ou tecidos sintéticos;

– Usar panos para abrir maçanetas e torneiras;

– Ao sair do carro, segurar em uma parte metálica da porta ANTES de começar a descer do veículo.

LEIA TAMBÉM

8 recomendações para você

Deixe seu comentário