Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Foto: Bigstock
Foto: Bigstock| Foto:

Ao lado do abacate e das crepiocas, a última novidade nutritiva dos adeptos de hábitos mais saudáveis é trocar a manteiga e a margarina pela pasta de amendoim. Embora a quantidade de gordura seja tão significativa quanto nas duas primeiras, a manteiga de amendoim é rica em uma gordura considerada “boa”, do tipo moninsaturada, o que ajuda a melhorar o perfil lipídico.

Ainda na lista de benefícios, o amendoim (que é uma leguminosa) é fonte de nutrientes com ação anti-inflamatória e que ajuda na proteção da saúde do coração (assim como as oleaginosas — castanhas, nozes, entre outras).

“O amendoim se destaca pelo alto teor proteico, de gorduras monoinsaturadas, magnésio, niacina, potássio, além de ser fonte de resveratrol, potente protetor contra doenças cardiovasculares”, explica a nutricionista Simone Biesek, professora e coordenadora do curso de nutrição da Unibrasil.

Foto: Bigstock
Foto: Bigstock

“O item pode entrar em uma refeição pré-treino, desde que sem muito exagero, porque pode trazer um desconforto durante a prática. E no pós-treino é muito bom também, porque tem a proteína”, diz Bernardo Bernardi, professor do curso de graduação e pós-graduação em Nutrição Esportiva da Universidade Positivo.

Das combinações, a manteiga de amendoim pode ser usada também como pasta em pães integrais e torradas, além da tapioca. “É importante lembrar que não é preciso se limitar à pasta de amendoim.

Outra opção é o amendoim torrado ou as oleaginosas, como nozes, castanhas e amêndoas, que podem ser adicionadas ao iogurte, frutas picadas, cereais ou puras, em pequenos lanches. De preferência, sem adição de sal ou açúcar”, reforça Simone Biesek.

Sem exageros

Só porque a pasta de amendoim é uma boa escolha não significa que possa ser consumida sem qualquer restrição. O alto teor de gordura indica que, sem controle, pode contribuir com o ganho de peso – o que nem sempre é o objetivo de quem a inclui na rotina alimentar.

Embora não exista uma quantidade certa para consumo (o que depende da saúde e nível de atividade física), a recomendação em geral é ingeri-la uma vez ao dia (o mesmo vale para as oleaginosas). “Pode-se ainda substituir a carne pelas sementes, o que equivaleria a cerca de duas colheres de nozes, castanhas, amendoim ou amêndoas”, diz a nutricionista.

Faça em casa

Em vez de ceder à manteiga de amendoim industrializada, que geralmente traz uma quantidade maior de açúcar, prefira fazer a própria pasta. Triture o amendoim sem casca e torrado, sal e açúcar a gosto. Misture tudo em um processador até formar a pasta.

Sugestão aos diabéticos

Como a pasta de amendoim diminui a absorção dos carboidratos e, portanto, reduz o índice glicêmico dos alimentos, é uma opção indicada aos diabéticos. Associe a pasta com tapioca, pão ou torradas, ou mesmo frutas, como a banana.

LEIA TAMBÉM

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]