i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

A Protagonista

Foto de perfil de A Protagonista
Ver perfil

Defesa de Lula diz que ação do MBL tem caráter político e que perda de benefícios comprova perseguição

  • PorThaísa Oliveira
  • 17/05/2018 14:02
(Foto: Mauro Pimentel/AFP)
(Foto: Mauro Pimentel/AFP)| Foto:

A defesa do ex-presidente Lula (PT) afirmou que a ação do Movimento Brasil Livre (MBL) que pediu a suspensão dos benefícios a que o petista tem direito como ex-presidente possui “caráter político”. A decisão judicial, publicada nesta quarta-feira (17), retirou motoristas, carros oficiais, seguranças e assessores do ex-presidente — preso na Superintendência da Polícia Federal de Curitiba desde 7 de abril.

LEIA MAIS: Justiça retira motorista, assessores e seguranças de Lula em liminar pedida pelo MBL

Em nota, os advogados Cristiano Zanin Martins e Valeska Teixeira Zanin Martins dizem que a ação foi “promovida por integrantes de movimento antagônico a Lula”, com o “claro objetivo de prejudicar sua honra e sua dignidade”. A defesa irá recorrer da decisão.

A defesa afirma ainda que, mesmo preso, Lula precisa do apoio pessoal que lhe é assegurado por lei, que nenhum juiz pode retirar direitos garantidos a ex-presidentes da República e que a decisão desta quinta-feira apenas reforça que o petista é vítima de perseguição política.

Decisão

Na decisão liminar, o juiz Haroldo Nader, da 6ª Vara Federal de Campinas, argumenta que o ex-presidente está “sob custódia do Estado” e que, por isso, não precisa de seguranças, motoristas, carros oficiais ou assessores. A ação popular foi movida pelo advogado Rubens Nunes, um dos fundadores do MBL — grupo que articulou protestos a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) em todo país.

Em abril, um parecer da assessoria jurídica da Presidência da República solicitado pela Secretaria-Geral da Presidência recomendou o corte de seguranças, motoristas e carros oficiais do ex-presidente, como revelou o jornalista Lúcio Vaz em reportagem publicada na Gazeta do Povo.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.