i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Alexandre Borges

Foto de perfil de Alexandre Borges
Ver perfil
Opinião

Desigualdade, riqueza e as pedaladas estatísticas

  • PorAlexandre Borges
  • 24/07/2020 15:30
Downton Abbey
Cartaz de Downton Abbey.| Foto:

Os fãs de Downton Abbey vão certamente se lembrar de como Sir Richard Carlisle (Iain Glen) era recebido nos salões do castelo dos Crawley depois de noivar com Lady Mary (Mary Talbot), a joia da coroa da família. Carlisle, papel inspirado na vida real do magnata das comunicações Lord Beaverbrook, personificava o dinheiro novo do self-made man ambicioso e amoral, dono de um jornal sensacionalista cuja vulgaridade, impetuosidade e ausência de fidalguia chocava, não sem motivo, aristocratas como os Crawley, especialmente a viúva e matriarca Violet (Maggie Smith).

O esnobismo em relação a empreendedores, comerciantes e profissionais liberais é tão antiga quanto o mercado, mas a quantidade inédita de riqueza produzida desde os tempos vitorianos colocaram de vez a burguesia nos salões acarpetados da tradicional elite européia e, com o tempo, do resto do mundo, o que gera todo tipo de tensão e preconceito até hoje.

Desde o início dos tempos, a pobreza era vista como um dado da natureza. Viemos das cavernas pobres e a produção de riqueza das sociedades primitivas, muito limitada, acabava concentrada em poucas mãos. Segundo Deirdre McCloskey, desde início dos tempos até o século XIX, a renda média per capita de nossos antepassados era algo em torno de US$ 3/dia (em valores de hoje). Nada muito impressionante.

Veja Também:

Tudo muda com a revolução industrial britânica, iniciada há pouco mais de duzentos anos, quando o mundo conheceu a maior produção de riqueza já vista. A revolução industrial multiplicou o PIB mundial, a renda per capita média salta de cinco a sete vezes no mundo (muito mais nos países de economia de mercado), a despeito do aumento populacional também inédito no período.

Em geral, terá uma vida melhor e mais longa quem se encontra nas faixas de menor renda da sociedade em 2020 do que os membros da classe média de 1920 ou da nobreza de 1820. Vive-se mais, com mais saúde, mais comida e mais segurança do que nunca, o que os números mostram e muitos intelectuais teimosamente negam.

A retórica marxista, criada no mesmo século XIX da revolução industrial britânica, dizia que o capitalismo tornaria os pobres cada vez mais pobres e, como até seus admiradores sabem hoje, esta foi uma das previsões mais erradas da história da humanidade. Os intelectuais e ativistas admitiram o erro? Não, apenas readaptaram o discurso pessimista e apocalítico, já que o que importa é sempre manter o capitalismo como vilão nesta ficção macabra que tem como herói o estado. Não por coincidência, o ente que costuma subsidiar generosamente muitos destes intelectuais, direta ou indiretamente.

Na infinita criatividade dos inimigos do livre mercado, o combate à pobreza foi dando lugar ao termo “desigualdade” ou a diferença relativa de renda entre o grupo composto por quem está momentaneamente com mais ou menos renda, uma fotografia de ignora a dinâmica da mobilidade social promovida pelo livre mercado.

Todo tipo de pedalada estatística e conceitual foi usada para, novamente, tentar provar que capitalismo é um esquema maquiavélico para manter os ricos cada vez mais ricos e os pobres cada vez mais pobres. Não é o que a história mostra, não é o que as evidências mostram, mas intelectuais engajados não costumam deixar que fatos atrapalhem narrativas.

O tema é discutido há décadas, mas em 2014 o lançamento do livro “O Capital do Século XXI”, do economista e ativista de esquerda francês Thomas Piketty, colocou a desigualdade de renda no centro do debate político mundial. É discutível se suas teses ajudarão os pobres, mas seu livro vendeu milhões de cópias e ao menos aumentou a desigualdade de renda entre Piketty e todos nós, além de garantir a ele uma recepção calorosa nos salões nobres da atual aristocracia antiliberal que tem horror aos burgueses.

Por isso, foi com alegria que recebi o resultado da última “Enquete do Borges” (veja vídeo no fim desta postagem) que mostra como nosso leitor não caiu na esparrela de que a solução para os problemas sociais e econômicos do mundo passa por aumentar impostos e colocar mais poder e dinheiro na mão dos burocratas do estado.

Nada menos que 95% dos respondentes da enquete que, é sempre bom repetir, não tem valor científico, querem menos impostos porque entendem, de alguma forma, que uma economia mais livre, com mais dinheiro no bolso de todos, é também uma economia mais próspera e que gera mais oportunidades e empregos, especialmente para os mais pobres.

Mesmo quem nunca ouviu falar em “Curva de Laffer” (Arthur Laffer) ou no “Grande Enriquecimento” (Deirdre McCloskey) intui que mais dinheiro com o governo e menos na sociedade enriquece, veja só, o governo. A solidariedade não foi inventada pelo progressismo que se agarra na bandeira de “desigualdade”, pelo contrário, ela foi estatizada por ele e com consequências desastrosas para quem mais precisa.

Voltarei outras vezes a esse tema espinhoso e urgente, mas fica aqui o registro da ilha de sanidade que é o público da Gazeta do Povo no combate a uma narrativa que teima em ser tratada como ciência quando é apenas má ideologia com as piores consequências para os mais necessitados.

12 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 12 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • G

    Geraldo Emanuel Prizon

    ± 3 dias

    Muito bom!!! Parabéns Alexandre Borges!!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • H

      Heinz Egon Landgraf

      ± 3 dias

      O discurso de desigualdade deprecia a si próprio quando advoga pela igualdade de resultados ao invés da igualdade de oportunidades, pois, ao fazê-lo, revela-se estatista e anti-democrático. Numa sociedade tornada essencialmente consumista, o discurso de igualdade não passa de cortina de fumaça para camuflar alguns pecados muito corriqueiros, como a inveja e a cobiça.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • F

        Fritz Huguenin

        ± 3 dias

        Alexandre Borges... excelente!

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        • A

          Admar Luiz

          ± 3 dias

          É, a verdade se impõe. Essa cambada esquerdo/progressista adoora pobres. Os usa pra fazer política, como inocentes úteis, ou seria idi ota úteis? gostei quando vc diz que o Estado - como não poderia deixar de ser - nas mais das vezes "subsidia generosamente" esses intelectuais ativistas que infestam as universidade. E no Brasil então? O que o Leviatã financiou - com nosso dinheiro - artistas, "intilictuais" e tutti quanti, hein Alexandre?

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

          • R

            Roberto Garcia

            ± 3 dias

            Fatos! Sempre nos admiramos como as pessoas podem acreditar (ou promover) uma narrativa que esteja frontalmente contra fatos. Para sermos mais simplistas e diretos podemos chamar isso de mentira. As vezes ela a narrativa vem enrolada com ares de sofisticação para enganar os incautos, mas os fatos sempre nos encantaram a realidade.

            Denunciar abuso

            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

            Qual é o problema nesse comentário?

            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

            Confira os Termos de Uso

            1 Respostas
            • R

              Roberto Garcia

              ± 3 dias

              Escancaram...

              Denunciar abuso

              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

              Qual é o problema nesse comentário?

              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

              Confira os Termos de Uso

          • B

            Bundalelê!

            ± 3 dias

            Dowton Abbey foi um seriado muito interessante. Não fez tanto sucesso no Brasil, mas nos EUA e Europa, tinha até exposições do cenário e figurino. A bem da verdade, com o advento na 1a Guerra Mundial, a elite perdeu suas casas e fortunas. A fortuna evaporou e as casas foram as poucos apodrecendo. Quando ao staff da casa grande (Downton Abbey), mostrou diversos desfechos: uma empregada virou secretária, a outra começou a estudar (Daisy), a cozinheira Mrs Patmore comprou um pequeno chalé e virou hotel, o assistente de garçom foi trabalhar em um grande hotel de Paris como cozinheiro, etc etc. Um seriado muito emocionante e bonito. Mostrou a virada economica que atingiu todos.

            Denunciar abuso

            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

            Qual é o problema nesse comentário?

            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

            Confira os Termos de Uso

            • R

              Rodrigo Paulinelli

              ± 4 dias

              Concurso leiteiro e leilão, na plateia Thomas Sowell e Thomas Piketty. Entra uma vaca e produz 40 litros de leite, Sowell a compra com um lance. Na saída Piketty vê uma porca e a compra rapidamente. Sowell questiona o Francês; - esta vaca de 4 tetas está envolvida na alimentação de carentes por uma boa temporada, O que você espera de sua porca com 12 tetas? Piketty; - está porca está comprometida com a feijoada que vou preparar ainda hoje. Conclusão; os conservadores podem duvidar cognição na estatística dos progressistas, mas..., é só o pensamento de curto prazo, dos progressistas…, claro!

              Denunciar abuso

              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

              Qual é o problema nesse comentário?

              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

              Confira os Termos de Uso

              • R

                Rodrigo Paulinelli

                ± 4 dias

                O supercado Rex de Lavras, MG e o Angelone de Curitiba resolveram abrir o capital na bolsa de valores. Os funcionários de cada supermercado compraram 25% das ações. O Rex deu lucro no trimestre e perguntou aos novos donos o que era para fazer. Foi unanime; compre ações do Angelone agressivamente. O mesmo foi decidido com o lucro do Angeloni, agressivamente comprar as ações do Rex. Conclusões; do capitalista; buy, buy, buy... do socialista; ódio a nova burguesia... do leão; está baixa a alícota de ganho de capital... dos funcionários do Rex/Angelone; vai uma cerveja aí?

                Denunciar abuso

                A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                Qual é o problema nesse comentário?

                Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                Confira os Termos de Uso

                • D

                  DIANA de luca

                  ± 4 dias

                  Ótimo artigo!

                  Denunciar abuso

                  A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                  Qual é o problema nesse comentário?

                  Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                  Confira os Termos de Uso

                  • N

                    Nico Gavelick

                    ± 4 dias

                    Muito bom, Alexandre. Fico feliz que tenha citado Deirdre McCloskey. Li dois livros fascinantes dela sobre as virtudes burguesas.

                    Denunciar abuso

                    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                    Qual é o problema nesse comentário?

                    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                    Confira os Termos de Uso

                    • R

                      Rodrigo Paulinelli

                      ± 4 dias

                      Chego em uma cidade, preciso de uma casa, compro uma na primeira oferta. O preço estava 10% mais caro que o mercado. Automaticamente o mercado alinha os preços das demais casas ao novo preço (mais 10%). Ou seja, se tem comprador para preços mais altos todas as casas da cidade fazem a correção do valor. É geração de riqueza no patrimônio de todos que possuem casa. Quem tem fazenda não recebe esta valorização. Conclusão conservadora; falta comprador de fazenda. Conclusão progressista; falta imposto para levar riqueza ao campo. Vai uma cerveja aí?

                      Denunciar abuso

                      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                      Qual é o problema nesse comentário?

                      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                      Confira os Termos de Uso

                      Fim dos comentários.