Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Westvleteren: a lendária cerveja trapista belga (Foto: Creative Commons/http://www.flickr.com/photos/guysie/)
Westvleteren: a lendária cerveja trapista belga (Foto: Creative Commons/http://www.flickr.com/photos/guysie/)| Foto:

[Olá, pessoal. Esse é mais um guest post, texto convidado, que publico no Bar do Celso. A ideia é ter contribuições variadas por aqui, alguns textos de pessoas que eu convido para escrever e outros de leitores que se candidatam. Quem escreve hoje é o Fábio de Faria e Souza Campos, sommleier de cervejas pelo Instituto da Cerveja e proprietário da loja Santo Lúpulo, da cidade de São José do Rio Preto (SP). Ele também tem um blog, o Infobeer, onde escreve sobre cervejas. E vai falar sobre as lendárias trapistas Westvleteren. Enjoy!]

Westvleteren: cerveja trapista lendária

Westvleteren: a lendária cerveja trapista belga (Foto: Creative Commons/http://www.flickr.com/photos/guysie/)

O munícipio de Vleteren, localizado na província de Flandres Oriental, Bélgica, a 150 quilômetros de Bruxelas, possui menos de 5 mil habitantes. Destes, cerca de 30 são monges e pertencem à Ordem dos Cistercienses Reformados de Estrita Observância, uma congregação religiosa da Igreja Católica também conhecida como Ordem Trapista, e vivem na Abadia de St. Sixtus de Westvleteren. O que faz estes monges, e por consequência Vleteren, famosos mundialmente, é a produção das cervejas Westvleteren Blond, uma Belgian Specialty Ale com 5,8% de álcool, Westvleteren Extra 8, Belgian Dark Strong Ale com 8% de álcool, e  Westvleteren 12, Belgian Quadrupel com 10,2% de álcool.

Embora as três sejam excelentes, a  mais desejada pelos amantes de cervejas especiais é a Westvleteren 12, considerada por muitos a melhor cerveja do mundo. Nos sites especializados na avaliação de cervejas Rate Beer e Beer Advocate alcançou nota máxima. No primeiro, inclusive, a Westvleteren 12 foi eleita a melhor cerveja do mundo em um campeonato realizado em 2005. Já no brasileiro Brejas ficou com 4,8 pontos de 5 possíveis.

Além da inegável qualidade, o que traz ainda mais fama às Westvleteren é a dificuldade de encontra-las. A produção destas cervejas é bastante limitada, visto que sua venda não visa lucro, mas apenas o sustento da abadia. Para compra-las, é preciso ligar diretamente para o mosteiro, informar a placa de seu carro e marcar um horário para a retirada (tudo isto em flamengo). Após a compra é necessário aguardar 60 dias para novo agendamento. Outra possibilidade é ir ao In de Vrede, um restaurante localizado ao lado do mosteiro onde também é permitida a venda destas cervejas. Lá é possível degusta-las e comprar, eventualmente, até 12 unidades por pessoa, dependendo dos kits disponíveis.

Mas e aí, é a melhor cerveja do mundo? Esta pergunta é extremamente difícil de responder, pois são cerca de 120 estilos de cerveja, cada um com suas características sensoriais, que podem variar muito. O que posso dizer, no entanto, é que é, sem dúvida, a melhor que já provei.

Westvleteren: uma degustação

-> Westvleteren Blond: Dourada, turva e com um pouco de sedimentação. Espuma de boa formação e persistência. Aromas de mel e frutas amarelas. Corpo médio baixo. No paladar, frutas amarelas, lúpulo e álcool. Amargor médio baixo. Aftertaste limpo e seco, convidando a mais um gole.

-> Westvleteren Extra 8: Marrom escura, espuma de boa formação e persistência. Aroma de caramelo, frutas vermelhas e amarelas, porém menos intenso que na Westvleteren 12. Corpo médio. No paladar, frutas vermelhas e amarelas. O adocicado do aroma se repete no sabor. O álcool, apesar de ausente no aroma, é bastante perceptível no paladar, mas equilibrado com o conjunto. O retrogosto é alcoólico, frutado e adocicado.

-> Westvleren 12: Marrom escura, espuma de boa formação e persistência. Aromas de frutas secas, ameixa e uva passa, frutas amarelas e vermelhas e caramelo. Álcool aparente. Corpo médio alto. No sabor, estão presentes todas as características do aroma com dulçor e álcool perceptíveis  e balanceados. Retrogosto adocicado e alcoólico. Faz jus à fama que tem.

[O Fábio se candidatou para escrever. Quer fazer o mesmo? Se você ficou interessado, pode enviar para mim um resumo do assunto do qual pretende escrever pelo e-mail bardocelso@gmail.com. Aí combinamos tudo: forma, fotos, tamanho, prazos, etc. Claro, o assunto deve ter a ver com cerveja de algum modo e, também, de preferência ser inédito. Mas é bom lembrar que me reservo o direito de não publicar um texto, caso não fique de acordo com os combinados, ou mesmo de editar o material. Participe!]

Acompanhe o Bar do Celso nos sites de redes sociais

– Google+

– Twitter

– Facebook

– Foursquare

– YouTube

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]