i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Caixa Zero

Ver perfil

Aprovar pena de morte no Brasil é voltar 140 anos no tempo

  • PorRogerio Galindo
  • 02/08/2016 18:58
Aprovar pena de morte no Brasil é voltar 140 anos no tempo
| Foto:

Ainda tem muita gente no Brasil disposta a aprovar a pena de morte no país. Uma pesquisa de 2007 dizia que mais da metade pensava que essa seria uma boa medida: 55%. De acordo com a história do Brasil, essas pessoas estão dispostas a voltar exatos 140 anos no tempo.

O Senado publicou uma bela reportagem contando a história da última vez em que alguém foi morto por ordem do Estado no Brasil. Foi em 1876, numa pequena cidade alagoana. O negro Francisco foi enforcado em Pilar.

O escravo foi condenado por matar duas pessoas. Recorreu à clemência do imperador D. Pedro II, mas a pena foi mantida.

“Acorrentado ao carrasco e com a corda já no pescoço, Francisco percorreu as ruelas da cidade num cortejo funesto até o ponto em que a forca estava armada. Na plateia havia escravos, levados por seus senhores para que o caso lhes servisse de exemplo”, diz o texto.

A lei que permitiu a morte do negro Francisco era apenas para escravos. Tinha sido aprovada em 1835 e continuou vigindo mesmo depois de 1876. Mas D. Pedro II decidiu não mais permitir as execuções. E, na República, nunca houve pena de morte no país.

Siga o blog no Twitter.

Curta a página do Caixa Zero no Facebook.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.