Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Foto: Wenderson Araújo/Gazeta do Povo.
Foto: Wenderson Araújo/Gazeta do Povo.| Foto:

O deputado Ricardo Barros, relator-geral do orçamento de 2016, ficou tremendamente incomodado com as reclamações de policiais federais de que não terão dinheiro suficiente para suas operações. Desde essa quinta, o deputado publicou duas notas rebatendo os argumentos.

Na primeira, Barros ressaltou que a PF teve R$ 38 milhões acrescentados de última hora e que o corte foi aplicado em todas as instituições, para cobrir o ajuste fiscal. Na segunda, agora, diz que a PF só usou 74% de seu orçamento de 2015, já durante a Lava Jato. Assim, não haveria porque reclamar de um corte de 3% para 2016.

“A Polícia Federal executou somente 74% de seu Orçamento de 2015 na administração da Unidade e manutenção de Transporte, portanto é descabida a reclamação de corte de 3,7%”, diz o texto.

Siga o blog no Twitter.

Curta a página do Caixa Zero no Facebook.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]