i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Caixa Zero

Ver perfil

Frase de Richa revela o erro de cálculo do governo no pacotaço

  • PorRogerio Galindo
  • 26/02/2015 15:53
Frase de Richa revela o erro de cálculo do governo no pacotaço
| Foto:

richa - dc“Não íamos fazer a retirada do quinquênio. Isso seria caótico, é uma das maiores conquistas dos servidores. Isso foi colocado na pauta de negociações para negociar, para ceder. Jamais ia tirar o quinquênio e o anuênio. Jamais passou isso pela nossa cabeça.”

A frase faz parte da entrevista que o governador Beto Richa concedeu à Gazeta do Povo nesta quarta-feira. Mostra o que poderia estar por trás da movimentação que o Palácio Iguaçu fez nos últimos dias, na tentativa de aprovar o pacote de medidas de ajuste fiscal.

A ideia, a se levar a sério o que disse o governador, era colocar mais coisas do que o necessário em pauta. Sabia-se que haveria chiadeira. Assim, quando houvesse a gritaria, retirava-se o projeto mais polêmico, evitava-se o quadro “caótico” e todos se conformariam com as propostas “menos más”.

É uma estratégia antiga como andar para frente: colocam-se três cartas na mesa sabendo que será preciso retirar uma. Ou, em outro modo: põe-se o bode na sala. Quando o bode sai, fica parecendo que tudo melhorou, embora isso não seja necessariamente verdade.

Mas o cálculo do governo saiu totalmente pela culatra. Foi o fim do quinquênio, junto com as outras propostas usadas como “bode” pelo governo, que levou os professores à fúria. Descontentes, indignados, eles coordenaram o movimento que levou à ocupação da Assembleia e à não aprovação do pacotaço.

Mais que isso: começaram uma greve que atrasou em (pelo menos) duas semanas as aulas e causaram um desgaste inimaginável ao governador. Cenas lamentáveis, de deputados em ônibus de choque, e bombas de efeito moral, levaram o governo a também perder base na Assembleia.

O governo precisou desistir não só do quinquênio e de outras propostas que desde o início pensava em descartar. Teve de desistir de quase tudo, abrir mão da comissão geral e ainda negociar coisas que nem estavam na pauta inicialmente. Tentou ir para um lado e logo se viu empurrado para o outro. Não voltou à estaca zero. Passou aos números negativos.

Como se diz no popular, é isso que dá ir com sede demais ao pote.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.