i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Caixa Zero

Ver perfil

Latas velhas: 21% dos expressos vermelhos rodam com vida útil vencida

  • PorRogerio Galindo
  • 29/05/2015 15:09
Latas velhas: 21% dos expressos vermelhos rodam com vida útil vencida
| Foto:

Onibus021127-624x415Se você entrar em um biarticulado desses vermelhos em Curitiba, tem 21% de chance de estar usando um ônibus com vida útil vencida. Pelo contrato com a prefeitura, as empresas deveriam renovar a frota a cada dez anos. Ou seja: nenhum ônibus deveria continuar rodando após esse período – mas não é o que acontece.

Em resposta oficial ao vereador Bruno Pessuti (PSC), a Urbs disse que há 25 expressos biarticulados vermelhos com mais de 10 anos de uso ainda sendo usados pelas empresas. Com isso, claro, elas gastam menos e aumentam seu lucro, já que rodam com uma “lata velha” ao invés de comprar ônibus novos.

Os biarticulados não são o único problema.  São 121 ônibus dentro de Curitiba com a vida útil vencida. O maior problema está no Consórcio Pioneiro, que tem 90 de seus 562 ônibus fora do prazo contratual. São 16% de ônibus velhinhos rodando. A idade média no consórcio é de 7,46 anos.

O mais curioso é que as empresas recebem uma taxa da Urbs exatamente para cobrir a depreciação dos veículos: ou seja, elas estão recebendo valores especificamente para não deixar que isso aconteça. Então seria preciso ou parar de fazer esse repasse enquanto elas não renovarem a frota ou cobrar que comprem os ônibus.

Deixando mais claro: parte dos R$ 3,30 que são cobrados hoje do usuário têm como justificativa o fato de que esse dinheiro é preciso para renovar a frota. Mas se não estão comprando os ônibus, afinal, não é justo que as empresas cobrem do usuário por isso. Ou estaremos pagando por ônibus novos para andar em latas velhas

Siga o blog no Twitter.

Curta a página do Caixa Zero no Facebook.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.