i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Caixa Zero

Ver perfil

Na crise, postos aumentaram em até 98% margem de lucro com litro de gasolina

  • PorRogerio Galindo
  • 08/06/2018 11:53
Na crise, postos aumentaram em até 98% margem de lucro com litro de gasolina
| Foto:

O levantamento semanal de preços da ANP mostra que os postos de combustível aumentaram em até 98% a margem de lucro sobre litro de gasolina vendido durante a crise de abastecimento do país. O aumento médio de lucro por litro no Brasil foi de 38%.

Segundo os dados da ANP, o maior aumento porcentual de lucro aconteceu em Alagoas. Os postos, na semana em que começou a greve dos caminhoneiros, tinham em média lucro de R$ 0,377 por litro vendido. Na semana de maior desabastecimento, a margem média subiu para R$ 0,747.

A maior margem por litro de gasolina foi identificada no Ceará. Os postos do estado em média adotaram um lucro por litro de R$ 0,935. No início da crise, o levantamento apontava média no estado de R$ 0,674.

Nos três maiores estados do país, a margem de lucro saltou para índices semelhantes na semana de maior falta de combustível: R$ 0,639 em Minas Gerais, R$ 0,628 no Rio de Janeiro e R$ 0,640 em São Paulo.

Leia mais: Com medo de greve, governo revoga tabelamento de combustíveis

A ANP mostra que o aumento dos preços da gasolina se deveu basicamente ao lucro maior. Na distribuidora, em média, os preços se mantiveram estáveis. O reajuste de uma semana para outra foi de apenas R$ 0,008. No entanto, na bomba, o preço médio no país subiu R$ 0,18.

No gás de cozinha, o aumento de margem de lucro também foi impressionante. Antes da crise, os revendedores em média adicionavam R$ 16,75 ao preço da distribuidora. No desabastecimento, cobraram R$ 22,15 em cada botijão. Assim, embora as distribuidoras, em média, tenham baixado o preço, o consumidor pagou mais.

No etanol combustível, a margem de lucro por litro dos postos também subiu 22,3%, subindo de R$ 0,420 para R$ 0,514 no auge do desabastecimento.

No caso do diesel, que motivou a greve dos caminhoneiros, a margem se manteve estável. Mas o levantamento da ANP mostra que na semana anterior o lucro havia subido 10% no diesel comum e 12% no Diesel S10.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.