i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Caixa Zero

Ver perfil

Políticos transferiram até R$ 2 mil a pedido de quadrilha que clonou celular de Cida

  • PorRogerio Galindo
  • 18/07/2018 10:56
Cida Borghetti. Foto de Albari Rosa/Gazeta do Povo.
Cida Borghetti. Foto de Albari Rosa/Gazeta do Povo.| Foto:

O que você faria se recebesse uma mensagem de um conhecido no WhatsApp pedindo uma transferência imediata de R$ 1 mil ou R$ 2 mil? Alguns políticos paranaenses pelo jeito acharam o pedido normal e chegaram a fazer o depósito.

A quadrilha desbaratada nesta semana no Maranhão, especializada em clonar celulares de políticos, tinha passado pelo Paraná antes de chegar aos telefones dos ministros de Temer. E, dentre outros, clonaram o celular da atual governadora, Cida Borghetti (PP).

O curioso é que, ao receber o pedido de ajuda de Cida (na verdade, dos bandidos), vários amigos da governadora de fato fizeram os depósitos solicitados.

Líder do governo de Beto Richa na Assembleia Legislativa, Luiz Claudio Romanelli (PSB), morreu com R$ 2 mil no golpe. “Recebi a mensagem, fizemos uma conversa rápida e achei que era mesmo ela”, diz o deputado. Segundo ele, as mensagens eram convincentes.

Leia mais: Barros quer faturar com “erro” de Ratinho, que prometeu a vice a gente demais

“Dizia que ela precisava fazer um pagamento e que me devolveria o dinheiro em seguida”, conta Romanelli que, por coincidência, também teve o seu telefone clonado pelo mesmo grupo.

Outro que fez um depósito achando que era para Cida Borghetti foi o atual secretário do Planejamento, Fernando Ghignone (PSDB). “Quem nunca ficou nessa situação de precisar de um dinheiro e não ter a quem recorrer. Acreditei na história”, conta ele.

Ghignone diz que não lembra quanto dinheiro transferiu, já que a história tem alguns meses. “Um amigo me perguntou se não foi muita ingenuidade. Eu disse que se recebesse uma mensagem dele teria feito o mesmo. Ainda mais que o telefone da Cida não é qualquer um que tem”, diz.

Não foram só políticos. Walter Petruzziello, empresário e pai do vereador Pier Petruzziello, teria sido outro a cair no golpe usando o telefone da então vice-governadora.

Romanelli conta que, quando clonaram o telefone dele, também houve depósitos. “O [deputado Edson] Praczyk depositou mil reais. Um oficial da PM também fez transferência. Acabei me sentindo na obrigação de devolver o dinheiro, embora não tenha recebido”, diz ele.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.