Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Bebê vacinada contra Covid-19 já é uma notícia chocante por si só, não apenas porque as vacinas de Covid não estão liberadas para crianças, que dirá para bebês, nem aqui nem em nenhum outro lugar do mundo.

NOVIDADE: faça parte do canal de Vida e Cidadania no Telegram

Elas sequer foram testadas nessa faixa etária! Justamente por isso não estão liberadas para uso. Não se conhece a possível eficácia das vacinas em bebês, muito menos a segurança. Não se sabe se podem causar algum mal a crianças tão pequenas.

Nenhuma farmacêutica pesquisou isso ainda, porque crianças e bebês não são grupo de risco para Covid-19. Até agora não há um único estudo no mundo feito com aplicação de vacinas de Covid em recém-nascidos e crianças pequenas. O choque da notícia, porém, não termina aí.

A bebê Alice, de Jundiaí (SP), vacinada por engano contra Covid no dia 4 de novembro quando foi levada pela mãe à Unidade Básica de Saúde para tomar vacina de meningite C, ainda recebeu uma dose da vacina da Pfizer para Covid bem acima daquela que vem sendo aplicada em adultos e adolescentes.

"É recomendação. Um adulto recebe 0,3 ml de uma dose da Pfizer. Aquilo que foi aplicado na Alice foi 0,5. Então foi praticamente quase o dobro do que seria uma dosagem normal aplicada num adulto."

Lucas Storani, pai da Alice

O engano teria ocorrido, porque a dosagem correta da vacina meningocócica C para a faixa etária da bebê seria 0,5ml. Na hora de preparar a injeção a auxiliar de enfermagem errou o frasco, mas preparaou a quantidade prevista no calendário de vacinação de bebês com a meningocócia C. Só percebeu o erro depois, ao descartar o frasco.

Para piorar a situação, Alice é cardiopata. E justamente a vacina da Pfizer é, entre as que vêm sendo usadas no Brasil, aquela que não é recomendada para pessoas com problemas cardíacos pré-existentes. Na bula já está descrita a possibilidade de efeitos adversos como miocardite e pericardite, inflamação do músculo cardíaco e da membrana que recobre o coração.

Lucas e a esposa Júlia, pais de Alice, contam que passaram os primeiros dias e noites praticamente sem dormir, com medo de não perceber caso a filha demonstrasse algum sintoma anormal. E olha que já estavam internados com ela em um hospital de São Paulo, para onde correram tão logo foram comunicados do erro pela equipe de enfermagem da UBS de Jundiaí.

Bebê vacinada contra Covid por engano passa bem

Na entrevista em vídeo, que acompanha este artigo, Lucas Storani, pai da bebê Alice, conta como ele e a esposa souberam que a filha caçula tinha sido vacinada por engano com a vacina da Pfizer.

E o que aconteceu depois, como e onde Alice foi atendida, como está sendo monitorada e por que decidiu expor esse drama pessoal que tem vivido nas últimas duas semanas.

Para assistir à entrevista basta clicar no play da imagem no topo da página.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]