i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Delações não premiadas

Ver perfil

Anexo de denúncia contra Eduardo Cunha traz registros do caso Banestado

  • Porkatnab
  • 12/06/2016 22:30
Foto: Agência Brasil

Foto: Agência Brasil

Um dos anexos da denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), usada também para tornar a mulher dele, Claudia Cruz, ré da Lava Jato traz uma informação curiosa: um documento de oito páginas com um pedido de análise de transferência de recursos em nome do parlamentar identificadas na base de dados do caso Banestado. E há registros de três movimentações suspeitas. Duas delas, de setembro de 2000 e de um ano depois, no valor de US$ 11,5 mil cada uma, referem-se a pagamentos feitos a Cunha no exterior por uma conta no Beacon Hill. “Em ambas as transações financeiras aparece junto ao nome de Eduardo Cunha a palavra policy (política)”, observa o documento. Já o outro registro de pagamento identificou uma movimentação financeira que teve como ordenante uma empresa chamada “Netherton Limited” que transferiu, em agosto de 1998, US$ 60 mil dólares de sua conta no Citibank para o MTB Bank de Nova Iorque. Conforme a denúncia contra o parlamentar, Cunha é proprietário de contas do truste Netherton. Todas as contas citadas estão ligadas a doleiros envolvidos no caso Banestado.

Filha na mira

Por enquanto, a filha de Cunha, Daniele Ditz, não foi denunciada na Lava Jato. Segundo o MPF, porém, as investigações vão prosseguir em relação a Daniele e a outros investigados.

Vai ter se explicar

Citado em delação premiada de um dos executivos da Andrade Gutierrez, o economista e ex-ministro da Fazenda do Regime Militar Delfim Netto foi intimado para prestar esclarecimentos na Polícia Federal (PF), em Curitiba, sobre assuntos ligados à operação Lava Jato. Ele terá que justificar o pagamento de R$ 240 mil em espécie recebidos por serviços de consultoria prestados à Odebrecht. O inquérito tramita em sigilo, e não há data definida para a oitiva. A defesa do economista nega que tenha havido irregularidade na prestação do serviço.

Arquivo

A Corregedoria Regional da Justiça Federal da 4ª Região arquivou na última sexta-feira (10) as cinco reclamações disciplinares contra o juiz federal Sérgio Moro responsável pelos processos da Lava Jato. Os pedidos questionavam a falta de manutenção do sigilo de gravações envolvendo o ex-presidente Lula e a presidente afastada Dilma Rousseff (PT) e a realização de interceptações sem autorização judicial. Conforme o corregedor regional, desembargador federal Celso Kipper, as decisões de Moro foram devidamente justificadas. “Não trouxeram qualquer prova de que sua atuação [de Moro] pudesse configurar falta disciplinar”, disse.

Frase

“Os criminosos antigos usavam testas de ferro e laranjas. Os criminosos modernos usam offshores e trustes para esconder dinheiro de propina”, do procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, sobre a estratégia utilizada pelo deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para esconder dinheiro ilícito no exterior.

Colaborou: Laura Beal Bordin

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.