Foto: Agência Brasil

Foto: Agência Brasil

O juiz federal Sergio Moro, que conduz as investigações da Lava Jato em Curitiba, se envolveu em mais uma polêmica nesta semana. Depois de divulgar gravações de interceptações telefônicas do ex-presidente Lula e diversos políticos há duas semanas, Moro proibiu que fossem feitas gravações do discurso proferido em uma palestra em São Paulo nesta terça-feira (29). A regra valeu apenas para a sua fala – os demais palestrantes tiveram tratamento “normal”.

Moro participou do evento “Combate à corrupção: desafios e resultados. Casos Mãos Limpas e Lava Jato”, realizado no auditório da Procuradoria Regional da República da 3ª Região. Logo no início da explanação do juiz, a transmissão ao vivo do evento pela internet, no canal de TV online do Ministério Público Federal, também foi interrompida.

Também participam do seminário o juiz italiano Piercamillo Davigo, que integrou a Operação Mãos Limpas na Itália, na década de 1990, e o procurador da República integrante da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, Paulo Roberto Galvão.

Um jornalista que cobria o evento contou que, no início da palestra, Moro pediu que os presentes não filmassem ou gravassem a exposição. A partir daí, seguranças e assessores de imprensa passaram a pedir que os jornalistas presentes no seminário desligassem qualquer aparelho eletrônico, como celulares e notebooks. Assim, as anotações referentes à palestra tiveram que ser feitas à mão.

Há também relatos de pessoas que estavam do lado de fora do auditório e, quando retornaram, tiveram que deixar os aparelhos eletrônicos na entrada do local.

Desde o início da operação Lava Jato, Sergio Moro já proferiu diversas palestras. É a primeira vez, no entanto, que há restrições sobre gravações ou transmissões de eventos pela imprensa.

No começo da operação, quando ainda não havia casos julgados por ele, o magistrado se limitava a falar de outros exemplos de combate a corrupção, como a operação Mãos Limpas. Nos últimos tempos, porém, ele tem inclusive citado em suas falas ações já julgadas da Lava Jato.

Há duas semanas, Moro participou do seminário “Combate à Lavagem de Dinheiro” da Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Unafisco). A palestra foi realizada um dia depois da divulgação das gravações das interceptações telefônicas do ex-presidente Lula e o juiz chegou a fazer menção ao caso. Na ocasião, a fala de Moro foi transmitida ao vivo pela internet.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]