Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
A Gestão escolar no cotidiano da escola
| Foto: Freepik

Entendendo gestão escolar como o processo de gerir recursos humanos, financeiros e materiais disponíveis na instituição, afim de garantir a qualidade de ensino. Podemos dizer que é o processo de administração da instituição como um todo, que faz a gestão de todos os setores, promovendo o bom funcionamento do ambiente.

Portanto, o grande objetivo do gestor é motivar e liderar sua equipe, alcançar metas e objetivos, promover a qualidade dos processos de ensino e aprendizagem, além de envolver e atender as necessidades da sociedade.

Gestão Participativa: grande parceria para a gestão escolar

Hoje resolvi falar de um dos maiores aprendizados que adquiri ao longo do tempo em que atuo como gestora: a gestão escolar é um processo de grandes parcerias.

Nada na gestão é isolado ou individualizado, tudo o que se planeja e se executa é elaborado em conjunto, preferencialmente de maneira participativa. Até porque, o papel de uma instituição de ensino, é promover o conhecimento pautado nas necessidades de uma sociedade muito dinâmica, onde a velocidade e a quantidade de informações são cada vez maiores e as demandas por elas estabelecidas, nos exigem uma reinvenção e adaptação com a mesma velocidade, já que o processo de aprendizagem não se limita mais aos muros de uma escola ou de uma faculdade, ele está presente em toda parte. E, também, pelo fato das legislações normatizarem como fundamental o processo da gestão participativa.

Então, é fundamental que se compreenda que a gestão escolar, de fato é uma grande parceria, que se estabelece com os mais variados atores que compõe o cenário educacional e social acerca da instituição.

Outra importante lição que aprendi, é que este processo de parceria precisa acontecer tanto com os nossos pares, a nossa equipe, composta por coordenadores, professores, funcionários administrativos e das mais diversas áreas, que chamamos de comunidade interna, quanto com os alunos e os demais elementos de fora da instituição, que chamamos de comunidade externa.

Portanto, sozinho, o gestor não consegue ir longe, pois, de nada adianta dominar processos e conteúdos se não souber encaminhar e estruturar processos de forma conjunta, dividir responsabilidades, coordenar e confiar estes processos a sua equipe.

Também, é necessário articular ações não só com o olhar da instituição, mas também com o olhar dos alunos e da sociedade. Certamente, se não levar em conta estes fatores, as dificuldades vão eclodir em sua frente de maneira exponencial.

Todo esse processo é a gestão participativa, que prevê a participação dos membros da escola, dos alunos e da sociedade no cotidiano da gestão da escola.

*Texto escrito por Josemary Morastoni, pedagoga, especialista em formação de professores e Coaching Educacional, mestre e doutoranda em Educação e com mais de 30 anos de experiência como gestora escolar em instituições da Educação Básica e do Ensino Superior, tanto da rede pública, quanto da rede privada de ensino. A profissional colabora voluntariamente com o Instituto GRPCOM no blog Educação e Mídia.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]