Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Educação, inteligência artificial e novos cenários
| Foto:

É fato que vivenciamos um novo momento, onde a disrupção e a evolução tecnológica incorporam uma nova realidade no cotidiano da sociedade. Este cenário em muitos casos é conduzido pela inserção de uma ferramenta denominada inteligência artificial (IA). O conceito desta ferramenta remete à modelagem e implementação da cognição humana em máquinas, para que assim seja possível a estes equipamentos desenvolver atividades que anteriormente eram efetuadas somente a partir da percepção, aprendizado ou raciocínio humano.  A partir da evolução desta ferramenta, atualmente observa-se a presença da IA em grande parte das atividades do dia-a-dia, seja na indústria ou nas diversas frentes relacionadas as necessidades da sociedade, como: relações bancárias, centrais de atendimento, leitura do clima, comércio, agricultura, cidades inteligentes, entre outras aplicações. Apesar da vasta gama relacionada com as aplicações que a IA possui, fica uma dúvida: como esta tecnologia está auxiliando a educação?

Para trazer respostas a perguntas como essas, observa-se que a IA se manifesta em alguns processos educacionais por meio de soluções digitais que desempenham papéis em vários níveis educacionais, como a diversificação de materiais para o aprendizado, o desenvolvimento de experiências de aprendizagem personalizadas, o diagnóstico e a administração educacional. Quanto à diversificação de materiais, nesse contexto a IA pode atuar no desenvolvimento de conteúdo por meio da personalização de assuntos e criação de interfaces de aprendizagem condizentes com as séries e idades acadêmicas. Nesse cenário, estão sendo desenvolvidos vários testes com estruturas de inteligência que atuam na composição de guias de estudo. Nessa aplicação estes sistemas efetuam a divisão automática do conteúdo e os insere em um cenário de aprendizado com flashcards, resumos de capítulos e testes de conhecimento, por exemplo.

Por outro lado, a experiência de aprendizagem personalizada condiz com a adaptação das práticas metodológicas e dos ambientes de aprendizagem para atender às necessidades e aspirações individuais dos alunos. Corroborando com este conceito, existe uma frase de Albert Eistein que diz: “Todo mundo é um gênio. Mas, se você julgar um peixe por sua capacidade de subir em uma árvore, ele vai gastar toda a sua vida acreditando não ser capaz.” Essa colocação reflete em um cenário já conhecido na Educação, onde as metodologias ativas surgem com o objetivo de minimizar o impacto das diferentes variáveis relacionadas ao processo de aprendizagem, como: tempo, tipos, modos, entre outras características que influenciam este processo.

Neste contexto, a IA vem surgindo como uma ferramenta de auxílio na forma de tutoria personalizável, a qual é inserida por meio da utilização de aplicativos de apoio ao estudo. Aqui a IA é aplicada na adaptação da aprendizagem, conduzindo o aluno por caminhos que favoreçam o seu desenvolvimento perante suas características de aprendizado. Estes sistemas são denominados Intelligent Learn Systems (ILS) e são aplicados para desenvolver uma aprendizagem orientada e efetuam a avaliação de desempenho do aluno enquanto seus acertos, equívocos e fornece recomendações orientativas para o progresso do aprendizado. Essa ferramenta, que em muitos casos se assemelha a chatBOT, é uma “mão na roda” para auxiliar o professor em uma tarefa não muito trivial, que é o diagnóstico evolutivo de cada aluno.

Como outro papel importante da IA dentro da educação, tem-se a relação desta ferramenta com o processo de gestão educacional. As instituições de ensino possuem sistemas de informação e gestão que consistem em uma arquitetura integrada de serviços educacionais que viabilizam a parte de planejamento. Mediante o avanço de plataformas digitais e da inteligência artificial e aprendizado de máquina, os sistemas de gestão educacionais estão evoluindo para plataforma inteligentes de gerenciamento. Assim, a partir da grande quantidade de dados coletados pelos sistemas de gestão educacional, algoritmos de aprendizado de máquina e IA podem efetuar análises e decisões baseadas em dados para colaborar com a administração escolar, agregando na otimização e agilidades dos processos.

Além destas aplicações estão surgindo alguns outros caminhos de tendência para IA na educação, são eles: automação de atividades básicas ou repetidas, identificação de lacunas e falhas no currículo, tutores virtuais, ciclos de feedbacks para alunos e professores, desenvolvimento de novas dinâmicas com os professores e novos caminhos para a seleção, ensino e suporte aos alunos.

Welder Siena é Mestre em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), docente universitário nas Faculdades da Indústria e Coordenador de Educação e Negócios do Sistema Fiep. O SESI/PR, integrante do sistema FIEP, colabora voluntariamente com o Instituto GRPCOM no Blog Educação e Mídia.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]