i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Educação e Mídia

Foto de perfil de Educação e Mídia
Ver perfil

Ministério da Educação ou Desenvolvimento Humano?

  • Por
  • 21/08/2012 17:32
Ministério da Educação ou Desenvolvimento Humano?
| Foto:
Ivonaldo Alexandre/ Gazeta do Povo
Será possível conhecer e dar a atenção necessária para 300 alunos e ainda ensinar a matéria?

Se perguntarmos para os profissionais da educação qual é a sua missão teremos respostas essencialmente contraditórias. Talvez a maior diferença seja que uma parcela acredita que sua tarefa é ensinar os conteúdos programados, ou seja, instruir, e a outra vê seu trabalho com possibilidades de promover o desenvolvimento humano, indo além das dimensões intelectuais.

Para as pessoas que defendem que a escola deve se limitar a ensinar disciplinas, como Matemática e Português, uma forte justificativa é que cabe às famílias o papel de educar. Nesse caso, como ficam as crianças e adolescentes criadas por familiares que não cumprem esse papel? Como elas interagem na própria escola? Como elas viverão em sociedade? Qual impacto que essas pessoas “mal-educadas” terão na vida das “bem-educadas”?

Por outro lado, alguns acreditam que a escola, além instruir, deve ser um local de aprendizado de valores, de competências para a vida e de transformação humana. Como fazer isso em um sistema que foi criado para instruir? Caro leitor, se coloque no lugar de um professor que trabalha com 10 turmas de 30 alunos e fica com cada grupo apenas 3 horas por semana. Será possível conhecer e dar a atenção necessária para esses 300 alunos e ainda ensinar a matéria?

Mais do que reformas pontuais, é preciso definir com clareza a missão da educação. Quando isso acontecer teremos uma mudança estrutural, com diversos desdobramentos que envolverão a formação dos professores, o currículo escolar, as estruturas físicas das escolas e quem sabe até mesmo o nome do Ministério da Educação, que poderá ser alterado para termos que não deixem dúvidas do seu papel.

>> Este artigo foi escrito por Luciano Diniz, coordenador da pós-graduação em Educação Integral da Associação Gente de Bem.

>> Quer saber mais sobre educação, mídia, cidadania e leitura? Acesse nosso site! Siga o Instituto GRPCOM também no twitter: @institutogrpcom.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.