i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Educação e Mídia

Foto de perfil de Educação e Mídia
Ver perfil

Procura-se professor que mata cão a grito e jacaré a beliscão

  • Por
  • 07/05/2012 17:37
Procura-se professor que mata cão a grito e jacaré a beliscão
| Foto:

Diversos problemas sociais ecoam dentro da sala de aula: famílias desestruturadas, pais com pouco tempo, energia e até mesmo pouco interesse pelos seus filhos, diferenças sociais, dificuldades econômicas, crise de valores, falta de respeito à autoridade, alunos que exigem seus direitos e não têm a mesma disposição para cumprir seus deveres, a predominância do individualismo…

Diante desse contexto, alguns pedem – talvez inconscientemente – que a escola

divulgação

resolva todos esses problemas. Afinal, cabe à educação mudar o mundo. Dessa forma, queremos que o professor ensine todas as matérias previstas no currículo, promova a cidadania, afaste as crianças das drogas, doenças sexualmente transmissíveis e gravidez precoce. Além disso, as leis exigem que as diferenças sejam trabalhadas para que não ocorra o bullying e os problemas socioambientais devem ser abordados. Ainda, temos aquilo que muitos consideram como o principal: a formação de um profissional bem-sucedido.

Para resolver tudo isso e mais um pouco, os professores recebem salários menores que o de profissionais com o mesmo nível acadêmico e contam frequentemente com uma restrita infraestrutura; deve contar também com o suporte de sua equipe pedagógica, que está em crise pois enfrentam problemas semelhantes. Além disso, as licenciaturas, que são os cursos que habilitam o profissional a ministrar aulas, priorizam a aprendizagem da área específica, como matemática ou física, e apenas uma pequena parte da carga horária dessas graduações é destinada a capacitar o professor para a complexa arte de educar. Cabe a somente ele aprender lecionar na prática, com suas próprias tentativas e erros.

Nossa sociedade entrega aos professores importantes tarefas, mas para executá-las não fornece a capacitação adequada, os recursos necessários e não retribui com salários compatíveis. Nos anúncios de emprego e de concursos poderíamos mencionar: procura-se professor que mata cão a grito e jacaré a beliscão.

Mas por que dentro desse mesmo contexto alguns desses profissionais conseguem fazer um bom trabalho e outros sofrem tanto para realizar a mesma tarefa? Por que alguns educadores têm problemas com indisciplina e outros são respeitados pela mesma turma? Por que alguns professores não conseguem que seus alunos aprendam e outros sim? Em cada escola existe um ou mais professor herói, que cumpre diariamente missões quase impossíveis. Você lembra-se de algum? O que podemos aprender com eles?

>> Este artigo foi escrito por Luciano Diniz, coordenador da pós-graduação em Educação Integral da Associação Gente de Bem.

>> Quer saber mais sobre educação, mídia, cidadania e leitura? Acesse nosso site! Siga o Instituto GRPCOM também no twitter: @institutogrpcom.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.