i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Educação e Mídia

Foto de perfil de Educação e Mídia
Ver perfil

Que tal uma aula no youtube?

  • Por
  • 04/04/2012 17:00
Que tal uma aula no youtube?
| Foto:

Recentemente vi meu filho estudando biologia com um vídeo do Youtube. Intrigado, questionei a razão – ele respondeu que a aula da professora era muito chata e que, pela Internet, ele conseguia aprender em 15 minutos o que ela levava duas aulas tentando explicar.

A matéria da capa da revista Veja, lançada há poucas semanas, nomeia Salman Khan como o melhor professor do mundo. Ícone do ensino virtual, ele tem várias de suas aulas traduzidas para o português disponíveis online. Salman já conquistou mais de 150 milhões de acessos e atrai alunos por todo o mundo. E por quê?

Marcelo Elias - Agência de Notícias Gazeta do Povo

Diante das novas possibilidades de aprendizagem verificamos mais um sintoma da crise estrutural dos sistemas de ensino: a maioria das escolas ainda trabalha com métodos concebidos há décadas. Mas hoje temos uma nova realidade, com problemas cada vez mais complexos, e que não poderão ser resolvidos com as mesmas ferramentas do passado. É como ensinar a usar um telégrafo na época do Iphone.

Podemos perceber essa crise de duas maneiras: ou como uma tragédia, ou como uma grande oportunidade de mudanças – afinal, os novos tempos sempre pedem por transformações. A tecnologia pode progressivamente tirar o espaço da escola para o desenvolvimento de aspectos intelectuais; no entanto, abre janelas para o desenvolvimento de outras dimensões humanas, como a emocional, social, física, artística, criativa, intuitiva e existencial. As atribuições com as quais a vida nos desafia, seja no campo profissional ou pessoal, requerem mais do que o raciocínio lógico para resolvê-las.

O desenvolvimento dessas múltiplas inteligências pode ser o objetivo da nova escola, que formará seres integrais, capazes de lidar com os desafios contemporâneos. Precisamos preparar nossos jovens para lidar com a vida. Para isso bons educadores, que vão além da transmissão de informação, são fundamentais.

>> Este artigo foi escrito pela equipe da Associação Gente de Bem, instituição que desenvolve programas de educação integral para adolescentes, professores e famílias.

>> Quer saber mais sobre educação, mídia, cidadania e leitura? Acesse nosso site! Siga o Instituto GRPCOM também no twitter: @institutogrpcom.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.