Atrás do papa Francisco, o jornalista italiano Matteo Bruni, nomeado porta-voz do papa no dia 18 de julho.
Atrás do papa Francisco, o jornalista italiano Matteo Bruni, nomeado porta-voz do papa no dia 18 de julho.| Foto: VATICAN MEDIA/AFP

O papa Francisco nomeou nesta quinta (25) uma brasileira como vice-diretora da Sala de Imprensa da Santa Sé. Cristiane Murray nasceu no Rio de Janeiro em 1962 e trabalha na seção brasileira da Rádio Vaticano desde 1995. Ela desempenhará sua nova função ao lado do italiano Matteo Bruni, nomeado diretor da Sala de Imprensa no último dia 18. Informalmente, os cargos de diretor e de vice-diretor desse órgão são conhecidos como os de porta-voz e vice-porta-voz do papa.

Murray é a segunda mulher a ocupar a vice-diretoria da Sala de Imprensa, cargo que existe desde 1976. A Sala de Imprensa divulga diariamente boletins com as atividades do papa, organiza o cadastro dos jornalistas que cobrem o dia-a-dia do Vaticano, conduz as coletivas de imprensa que acontecem no menor país do mundo e as entrevistas que o pontífice costuma conceder nos voos de retorno a Roma em suas viagens.

Hoje a Sala de Imprensa responde tanto à Secretaria de Estado, que coordena todas as atividades internas e as relações exteriores da Santa Sé, quanto ao Dicastério para a Comunicação. O atual secretário de Estado, considerado o número 2 do Vaticano, é o cardeal italiano Pietro Parolin, e o atual prefeito do Dicastério para a Comunicação é o jornalista italiano Paolo Ruffini, o primeiro leigo da história a assumir a prefeitura de um dicastério da Cúria Romana.

Histórico

A Sala de Imprensa da Santa Sé, assim como boa parte das estruturas atuais da Cúria Romana, nasceu na sequência do Concílio Vaticano II (1962-1965). O Vaticano dispunha de um escritório de imprensa específico para cobrir as atividades do concílio. Com a conclusão da assembleia, o papa Paulo VI decidiu estabelecer um órgão permanente para as relações com a imprensa, vinculado à Secretaria de Estado. Em 1966, então, nasceu a Sala de Imprensa da Santa Sé.

Para a diretoria do órgão, Paulo VI nomeou o padre italiano Angelo Fausto Vallainc (1916-1986). Vallainc permaneceu no cargo até 1970, quando foi nomeado bispo auxiliar de Siena. Quem o sucedeu foi o jornalista italiano Federico Alessandrini (1905-1983), que havia trabalhado no L’Osservatore Romano, o jornal do Vaticano, entre 1939 e 1972. Ele ocupou o cargo até 1976, sendo sucedido pelo padre comboniano Romeo Panciroli (1923-2006), também italiano.

Panciroli dirigiu a Sala de Imprensa em um momento delicado da história recente da Igreja Católica, que cobriu a morte de Paulo VI, a eleição de João Paulo I, a sua morte apenas um mês depois do conclave e a eleição de João Paulo II, o primeiro papa não italiano em quase cinco séculos. Foi com Panciroli que o Vaticano começou a televisionar as principais celebrações presididas pelo papa. Também foi nesse período que foi criado, em 1976, o cargo de vice-diretor da Sala de Imprensa, cujo primeiro ocupante foi o padre italiano Pierfranco Pastore (1927-2015).

Em 1984, Panciroli foi nomeado bispo e enviado a desempenhar funções diplomáticas na África Ocidental. Para a direção da Sala de Imprensa, João Paulo II nomeou um leigo, o jornalista espanhol Joaquín Navarro-Valls (1936-2017). Numerário do Opus Dei, ele ocupou a função durante todo o restante do pontificado do papa polonês, aposentando-se em 2006, já no pontificado de Bento XVI.

Quem o sucedeu foi o padre jesuíta italiano Federico Lombardi (1942-), que dirigiu a Sala de Imprensa durante todo o restante do pontificado de Bento XVI e os primeiros anos do de Francisco. Em 2016, nomeado presidente da Fundação Vaticana Joseph Ratzinger-Bento XVI, que cuida do legado do papa emérito, Lombardi foi substituído pelo jornalista norte-americano Greg Burke (1959-). Assim como Navarro-Valls, Burke é numerário do Opus Dei.

Junto com Burke, Francisco nomeou a primeira vice-diretora mulher da Sala de Imprensa da Santa Sé, a jornalista espanhola Paloma García Ovejero (1975-). Burke e García renunciaram às suas funções em dezembro de 2018. O papa nomeou então como diretor provisório da Sala de Imprensa o jornalista italiano Alessandro Gisotti (1974-).

No último dia 18, Gisotti foi nomeado vice-diretor editorial do Dicastério para a Comunicação e para a direção da Sala de Imprensa foi anunciado o nome do jornalista italiano Matteo Bruni (1976-), nascido na Inglaterra. Com a nomeação de Murray, completa-se o quadro da direção da Sala de Imprensa.

Diretores da Sala de Imprensa da Santa Sé

1966-1970Angelo Fausto Vallainc Itália Padre
1970-1976Federico Alessandrini Itália Leigo
1976-1984Romeo PanciroliItáliaPadre
1984-2006Joaquín Navarro-VallsEspanhaLeigo
2006-2016Federico Lombardi Itália Padre
2016-2018Greg BurkeEUALeigo
2019 Alessandro Gisotti (provisório) ItáliaLeigo
2019-Matteo Bruni Itália Leigo

Vice-diretores da Sala de Imprensa da Santa Sé

1976-1984Pierfranco PastoreItáliaPadre
1984-1987Giulio Nicolini Itália Padre
1987-1990Giovanni D'Ercole Itália Padre
1990-1995Piero PennacchiniItália Padre
1995-2016Ciro BenedettiniSan Marino Padre
2016Greg BurkeEUALeigo
2016-2018Paloma García OvejeroEspanhaLeiga
2019-Cristiane MurrayBrasilLeiga
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]