i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Francisco Escorsim

Foto de perfil de Francisco Escorsim
Ver perfil

Detalhes tão nazistas de nós dois

  • Por Francisco Escorsim
  • 24/01/2020 00:01
Detalhes tão nazistas de nós dois
| Foto: Ivonaldo Alexandre/Arquivo Gazeta do Povo

Depois do caso Roberto Alvim, parece que está liberado chamar os outros de nazistas e fascistas caso não façam o que o acusador gostaria que fizessem. Se Sergio Moro, na entrevista ao Roda Viva, disse que o vídeo de Alvim foi bizarro, é pouco, muito pouco, pouco mesmo. Isso significaria que o ministro só pode ser um submisso ao projeto totalitário em marcha. Que projeto? Boa pergunta, também aguardo maiores detalhes para além da torcida para que exista um mesmo. Como Alvim jogou melzinho na chupeta da histeria, ah, estaria tudo provado! Pouco importa se ele foi demitido logo depois do vídeo, esses detalhes essas gentes ignoram para a narrativa colar melhor.

Dias depois veio o ápice da tentativa de culpar por associação, ainda que inexistente, com a charge e coluna de um tal Anderson França, que não sei quem é, publicados pela Folha de S.Paulo chamando o pessoal do axé, sertanejo e pagode de nazistas por não terem se pronunciado publicamente sobre o caso Alvim. Sobrou até para o Roberto Carlos, que teria sido amado amante à moda antiga da ditadura militar. Horas depois o jornal deletou o desenho do seu site e pediu desculpas públicas a Maiara e Maraísa, a dupla sertaneja acusada por França junto com outros artistas. O que fez França? Dobrou a meta em seu perfil no Facebook acusando “o nazismo presente no fazer ideológico de Bolsonaro”.

Depois do caso Roberto Alvim, parece que está liberado chamar os outros de nazistas e fascistas caso não façam o que o acusador gostaria que fizessem

Entre Alvins e Franças, assim estamos vivendo nesse ambiente recheado de Piu-pius a dizerem que acham que viram um nazista ou comunista para logo depois se tornarem o Frajola a não esconder que o que querem mesmo é destruir o outro. E, para piorar, tem a turma do Confuso, personagem de outro desenho animado das antigas, dos Carangos e Motocas, uma motoquinha chata para dedéu que tudo que sabe fazer é aparecer depois que deu tudo errado para dizer: “mas eu te disse, eu não te disse? Eu te disse!” Mas nossos Confusos são mais confusos, não precisa ter dado errado para saírem falando como se tivesse dado errado e mal conseguindo esconder a vaidade de não terem sido “cooptados”. Não vejo grande vantagem em ser um Confuso, mas tem gosto pra tudo.

A verdade é que vivemos no mesmíssimo espírito totalitário que Eric Voegelin descreveu tão bem em seu livro Hitler e os Alemães. Na obra, Voegelin se interessa menos por Hitler que pelos alemães que votaram em Hitler. Estudo semelhante, mas voltado a entender o mesmo fenômeno em países comunistas, é o de Czeslaw Milosz em sua obra A Mente Cativa. Hannah Arendt também se aprofundou nisso em suas obras, que podem ser resumidas na famosa expressão que cunhou em Eichman em Jerusalém: “a banalidade do mal”. O que seria essa banalidade? Gosto de uma citação de Arendt que, se não explica, ao menos nos descreve: “Num mundo incompreensível e em perpétua mudança, as massas haviam chegado a um ponto em que, ao mesmo tempo, acreditavam em tudo e em nada, julgavam que tudo era possível e que nada era verdadeiro”.

Você também não tem a impressão de irrealidade do que estamos a viver, leitor banalizado? É impossível assistir ao vídeo bizarro de Alvim e não pensar: “mas só pode ser piada!” E não era. Lendo a coluna irresponsável de França e a charge grotesca que a acompanhou, é impossível não pensar: “mas isso também é totalitarismo, mano!” Mas ele nem percebe. Enfim, resta-nos chorar parodiando o clássico do Rei, saudosos do mínimo bom senso que se tornou um daqueles detalhes que estão sumindo na longa estrada do tempo que transforma todo ardor em quase nada. Mas quase também é mais um detalhe e um grande ardor não vai morrer assim, por isso, por muito tempo você vai lembrar do Alvim. E do França também.

7 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 7 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • W

    WILSON ZETI

    ± 2 dias

    Sobre o nazismo no Brasil me lembro de um personagem mafioso do Jô Soares que dizia: Eu avisei, não manda a máfia pro Brasil que esculhamba.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • E

    Eduardo Prestes

    ± 2 dias

    Hoje mesmo assisti um vídeo do ex-presidente Lula conclamando as pessoas a fazerem o mesmo que aconteceu no Chile, radicalizando a luta contra o “fascismo imaginário”. Ou seja, ele quer que queimem igrejas, estações de metrô, trens, ônibus, destruam lojas, hotéis, quebrem vidraças, matem pessoas.. Isso porque ele não aceita um governo de “miliciano”, ou seja, a esquerda não pode aceitar pacificamente uma derrota eleitoral. E a imprensa não vê qualquer problema nisso, não acha essa declaração radical ou irresponsável...

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • E

    Eduardo Prestes

    ± 2 dias

    A esquerda é um amontoado de malucos. Eles realmente querem transformar isso aqui numa nova Venezuela, estão em guerra aberta contra o governo e todos que votaram no Bolsonaro. Óbvio que quando um lado radicaliza e abandona as regras democráticas, há um radicalização no outro lado também. O que nada tem a ver com nazismo ou fascismo, duas correntes totalitárias mortas. O nazismo é inclusive irrelevante, foi ao governo num único país e por apenas 12 anos. O totalitarismo que existe é o marxismo, justo o mais violento, com milhões de adeptos.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    Admar Luiz

    ± 2 dias

    Não, não vamos nos lembrar dos Alvins e dos Franças. São "detalhes" irrelevantes, meu prezado. Lixo! Mas o que se viu mesmo foi a esteria desses pseudos moralistas da esquerda vaga bun da que infernizam tudo onde põem a mão.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • P

    Paulo Roberto Pinheiro

    ± 2 dias

    Perfeito, aliás, por falar em nazismo, será que um dia o goleiro Bruno vai terminar de cumprir a sua pena ou já temos prisão perpétua no Brasil?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    2 Respostas
    • W

      WILSON ZETI

      ± 2 dias

      O perdáo é para arrependido.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • A

      Admar Luiz

      ± 2 dias

      Leva ele pra casa, o valente. Que sabe vc o ressocialize, né? Talvez te diga que fim o criminoso que matou a mulher dele deu ao corpo até agora não encontrado. Que tal? Por fim, o que o nazismo tem haver com o ex goleiro Bruno?

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.