Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Fundação oferece atendimento educacional para pessoas com deficiência
| Foto: Foto: Divulgação

Mais de 5 milhões de recém-nascidos já foram atendidos pela Fundação Ecumênica de Proteção ao Excepcional (Fepe), instituição sem fins lucrativos que atua no Paraná e em Santa Catarina com a realização do Teste do Pezinho e o atendimento clínico e educacional de pessoas com deficiência. Fundada em 1959, a Fepe, que nasceu para proporcionar cuidado e inclusão, foi uma das Organizações da Sociedade Civil (OSC) reconhecidas pelo 1º Prêmio Impulso de Boas Práticas no Terceiro Setor, realizado em 2019 pelo Programa Impulso do Instituto GRPCOM. A instituição foi premiada na categoria marketing e mídias sociais.

Com sede em Curitiba, a organização é hoje referência na oferta de serviços nas áreas da saúde, educação e prevenção, atendendo gestantes e recém-nascidos por meio do Serviço de Referência em Triagem Neonatal; além de pessoas com deficiência intelectual e múltipla deficiência que estudam nas escolas especiais da Fepe e recebem acompanhamento multidisciplinar com fonoaudiólogos, psicólogos, fisioterapeutas, entre outros especialistas.

Em seis décadas de existência, a fundação passou a fazer parte da vida de milhões de pessoas, entre elas da mãe Marcia Adriana da Luz e de sua filha, Ana Flávia, aluna da Escola Ecumênica da Fepe. De acordo com Marcia, a história de sua família com a fundação teve início quando a filha foi diagnosticada com autismo, aos quatros anos de idade. “Conhecemos a Fepe por meio de uma indicação e foi na fundação que a Ana, hoje com 16 anos, se encontrou e construiu autoestima. Ela vai e volta feliz da escola e também recebe atendimento especializado de neuropediatria e psicologia”, comenta. Ao ver a evolução da filha e a ajuda que a Fepe confere para a sociedade, Marcia também arregaçou as mangas e atuou, durante muito tempo, no conselho de pais da escola. “Sou muito grata e confio muito no trabalho da fundação. Foi por isso que ingressei no conselho, para participar ativamente dos projetos”, acrescenta.

Escola Ecumênica deu origem à Fepe

O primeiro projeto da Fepe foi a Escola Ecumênica, idealizada por um grupo de pessoas que ficou conhecido como o “Grupo das Ecumênicas”. Formado em sua maioria por mães de alunos, o grupo lutava pelo acesso à educação para pessoas com deficiência, pois em meados da década de 50, não existiam escolas especiais para crianças com mais de oito anos. A história da Fepe seguiu, até que em 1973 a escola foi inaugurada oficialmente.

A Escola Ecumênica atua hoje no atendimento clínico e educacional de mais de 300 pessoas de Curitiba e Região Metropolitana, com idade entre 6 a 45 anos, matriculados nos segmentos de Educação Infantil, Ensino Fundamental e Educação de Jovens e Adultos, na modalidade especial. Na escola, o currículo é adequado às necessidades individuais de cada aluno e, o desenvolvimento e o aprendizado deles são acompanhados por pedagogos, professores e equipe clínica, tudo de forma gratuita.

Teste do Pezinho ajuda a diagnosticar doenças raras

A Fepe é o único Serviço de Referência em Triagem Neonatal credenciado pela Secretária de Saúde do Estado do Paraná (Sesa) para a realização do Programa Nacional de Triagem Neonatal no Paraná, conhecido como Teste do Pezinho, exame feito a partir da análise de sangue coletado do calcanhar do recém-nascido e que permite identificar doenças graves ainda nos primeiros dias de vida da criança. Desde 2016 a fundação também é credenciada pela Secretaria de Saúde de Santa Catarina como Laboratório Especializado em Triagem Neonatal para a realização do teste em recém-nascidos.

O pontapé inicial para o Teste do Pezinho, que contempla a realização do exame e o encaminhamento e tratamento dos casos suspeitos de doenças por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), foi a inauguração do Centro de Pesquisas da fundação, em 1974. O exame foi introduzido em 1983 e hoje ajuda a identificar e tratar, precocemente, doenças raras como Fenilcetonúria, Hipotireoidismo Congênito, Fibrose Cística, Doença Falciforme, entre outras.

Doações e parcerias ajudam a manter as atividades da OSC

Como uma Organização da Sociedade Civil (OSC), a Fepe depende de doações e parcerias para garantir a continuidade das suas atividades. Durante o ano, realiza ações e campanhas institucionais que ajudam na captação de recursos, como bazares. A fundação recebe doações diretas e também por meio da tarifa de energia elétrica, troco solidário, Nota Paraná e do Imposto de Renda. A Fepe também tem convênio com a Secretaria de Saúde e de Educação.

Para conhecer mais sobre o trabalho realizado pela fundação, acesse o site: https://www.fepe.org.br/.

**Quer saber mais sobre cidadania, educação, cultura, responsabilidade social, sustentabilidade e terceiro setor? Acesse nosso site! Acompanhe o Instituto GRPCOM também no Facebook: InstitutoGrpcom e Instagram: instagram.com/institutogrpcom

Conteúdo editado por:Giro Sustentável
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]