• Carregando...
(Foto: SPVS)
(Foto: SPVS)| Foto:

O Programa Condomínio da Biodiversidade – ConBio, desenvolvido pela Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS), vem atuando no município de Campo Largo com o objetivo de orientar os proprietários de áreas naturais quanto ao manejo correto da flora e da fauna e uso do solo, além de incentivar práticas conservacionistas. O trabalho, que começou em 2013, tem parceria com a Prefeitura Municipal de Campo Largo e é financiado pela Fundação Caterpillar, com apoio da Pan American Development Foundation (PADF).

Profissionais da SPVS realizaram visitas técnicas em mais de cem propriedades particulares e 1.200 mudas de espécies nativas da Floresta com Araucária foram doadas para enriquecimento e restauração florestal.  Das áreas visitadas, 35 têm potencial para serem transformadas em Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPN), unidades de conservação privada criada para proteger a biodiversidade do local. O município possui duas delas, mas tem potencial para muitas mais.

E o incentivo às práticas conservacionistas não parou por aí. Durante o ano de 2014, com o apoio da Secretaria de Educação de Campo Largo, o ConBio realizou um estudo de percepção ambiental com professores e alunos da rede municipal e ofereceu um curso de formação em Educação para Conservação da natureza à todos os educadores do 1º ao 5º ano do ensino fundamental.

O resultado foi uma onda de consciência ambiental que tomou conta de crianças de todas as idades. Com as visitas às áreas naturais realizadas em locais próximos, as atividades recreativas relacionadas às árvores e a percepção na prática da importância de conservar, os alunos se tornaram disseminadores da questão ambiental, falando sobre isso com pais e conhecidos.

Apresentação dos resultados do projeto e próximos passos

Na semana passada, a SPVS e a Prefeitura de Campo Largo promoveram o 1º Encontro de Proprietários de Áreas Naturais em Campo Largo. No evento, foi possível apresentar os resultados desses dois anos de atuação, trocar experiências entre os envolvidos e falar sobre o que vem pela frente. Cerca de 50 pessoas, a maioria proprietários, se reuniram no Gabinete da Prefeitura Municipal.

Segundo Betina Ortiz Bruel, técnica do ConBio, essa foi a primeira vez que os proprietários de Campo Largo se reuniram, o que é benéfico para eles. “A exemplo de Curitiba, onde há até uma associação de proprietários, queremos que os de Campo Largo também encontrem e compartilhem problemas, soluções e experiências. Isso gera fortalecimento e é o primeiro passo para que o município se destaque na conservação”, explica.

As parcerias entre poder público, terceiro setor e sociedade são fundamentais para o sucesso de iniciativas em conservação da natureza e Campo Largo está à frente, na direção de se tornar um modelo para outros municípios.

*Artigo escrito pela equipe da ONG Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental – SPVS, parceira do Instituto GRPCOM no Blog Giro Sustentável.

**Quer saber mais sobre cidadania, responsabilidade social, sustentabilidade e terceiro setor? Acesse nosso site! Acompanhe o Instituto GRPCOM também no Facebook: InstitutoGrpcom e no Twitter: @InstitutoGRPCOM

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]