i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Gustavo Nogy

Foto de perfil de Gustavo Nogy
Ver perfil

Anarquistas de mentirinha

  • PorGustavo Nogy
  • 23/11/2017 12:54
Tasos Sagris membro do grupo grego anarquista, Void Network, no bairro de Exarchia em Atenas (Fonte UOL)
Tasos Sagris membro do grupo grego anarquista, Void Network, no bairro de Exarchia em Atenas (Fonte UOL)| Foto:

Leio algures que na Grécia, com o “vácuo do poder”, os anarquistas têm assumido a assistência social. Anarquista grego é outra coisa. Anarquista grego é um deus grego. No Brasil, com o vácuo do poder datando mais ou menos desde Pedro Álvares Cabral, traficantes assumem a assistência social, as eleições municipais, a manutenção da ordem e parte considerável do PIB.

Se bem que, consideradas todas as coisas,  talvez nem seja problema de vácuo de poder. Aqui o poder estatal é isso mesmo: uma força tropical que engole tudo ao redor, um buraco negro de aspirações frustradas e falidas esperanças, que tanto mais existe quanto menos deixa existir o que quer que seja.

No livro O Homem que Era Quinta-Feira, Chesterton conta a história de um grupo de perigosos anarquistas, investigado por um agente secreto. Ele consegue ser aceito entre os anarquistas e atua para desbaratar o grupo. Em pouco tempo descobre que havia outro agente-duplo também se fingindo de anarquista com o mesmo propósito. E outro. E mais outro. Todo o grupo de anarquistas era composto por agentes secretos que acreditavam investigar um perigoso grupo anarquista.

Pois no Brasil, feitos os devidos ajustes de enredo, anarquistas investigariam anarquistas que descobririam que, no fundo, todos eram estatistas empedernidos e não havia perigo nenhum de anarquismo por aqui. Eu adoraria que tivéssemos anarquistas perigosos ameaçando a ordem e os bons costumes, mas temo descobrir que nossos anarquistas são prosaicos como fiscais da defesa sanitária, previsíveis como funcionários de cartório. Nosso crime é, sempre foi, muito mais organizado que nosso Estado.

Aqui anarquistas pagam impostos, acreditam no horário eleitoral e dizem que precisamos mesmo de mais Estado, porque ninguém gosta de vácuo de poder, que absurdo é isso. Eu queria muito acreditar que o tráfico, o crime, a corrupção alastrante, os mais de sessenta mil homicídios (quase 90% não solucionados) fossem resultados do anarquismo, do vácuo do poder.

Mas, infelizmente, não são.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.