Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Vinícius Jaú (de frente): possibilidade real de ir embora do Atlético em abril de 2016. (Jorge Luiz da Silva/ Tribuna do Paraná)
Vinícius Jaú (de frente): possibilidade real de ir embora do Atlético em abril de 2016. (Jorge Luiz da Silva/ Tribuna do Paraná)| Foto:
Vinícius Jaú (de frente): possibilidade real de ir embora do Atlético em abril de 2016. (Jorge Luiz da Silva/ Tribuna do Paraná)

Vinícius Jaú (de frente): possibilidade real de ir embora do Atlético em abril de 2016. (Jorge Luiz da Silva/ Tribuna do Paraná)

O Atlético está à beira de entrar em mais uma briga extracampo por causa de uma revelação das suas categorias de base. O protagonista é o meia Vinícius Jaú, destaque do time sub-17 rubro-negro, e há elementos que elevam o potencial explosivo da disputa. Os empresários de Jaú são Roberto Rodrigues, que têm 15% dos direitos econômicos de Nathan, e Carlos Corsini, ex-sócio da Mais Sports Brazil durante o caso Dagoberto.
Fora da vitrine
Jogador do Atlético nos anos 70 e 80, Robertinho acusa o clube de boicotar Jaú quando ele tem oportunidade de aparecer no cenário nacional. Já foram solicitadas duas desconvocações dele da seleção sub-17 e ele foi cortado da viagem para a Taça BH, principal torneio da categoria. “Um dia antes da viagem, avisaram que ele foi cortado por ordem lá de cima”, explica Robertinho, referindo-se ao presidente Mario Celso Petraglia.
Sem renovação
A atitude do clube teria como motivação um impasse na renovação do contrato de Jaú. Robertinho se recusa a assinar o vínculo enquanto o Atlético não entrega um documento atestando que ele e o pai do jogador detêm 30% (15% cada um) dos direitos econômicos da revelação. Até a questão se resolver, vale o contrato de formação, que pode segurar Jaú no Furacão até os 20 anos. “O Petraglia falou que vai deixar o menino apodrecendo no Atlético até completar 20 anos”, diz o empresário.
Assédio
Robertinho diz já ter recebido sondagens de clubes brasileiros, mas duvida que algum tente tirar o atleta do Atlético. O motivo é um pacto entre os times do país de não assediar garotos vinculados a outras equipes. A opção é uma saída para o exterior a partir de abril, quando Jaú completa 20 anos.
E ainda tem o Nathan
A transferência de Nathan para o Chelsea reforça a briga entre empresário e Atlético. Robertinho já notificou clube, Chelsea e CBF para receber 15% dos 5 milhões de euros da negociação. Eduardo Uram tem direito a mais 15%. Ou seja, cabem ao Atlético 3,5 milhões de euros. “Ele só vai pagar se for na Justiça”, aposta o empresário.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]