i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Ir e Vir de Bike

Ver perfil

30 km/h. E nem uma vida a menos

  • PorAlexandre Costa Nascimento
  • [22/10/2013] [15:51]
Vias acalmadas reduzem drasticamente o índice de mortes em caso de atropelamento de pedestres e ciclistas
Vias acalmadas reduzem drasticamente o índice de mortes em caso de atropelamento de pedestres e ciclistas| Foto:
Vias acalmadas reduzem drasticamente o índice de mortes em caso de atropelamento de pedestres e ciclistas

Vias acalmadas reduzem drasticamente o índice de mortes em caso de atropelamento de pedestres e ciclistas

O motorista que costuma trafegar pelas ruas e avenidas da região central de São Paulo terá de aprender a dosar o peso do pé direito. Desde o início desta semana, passou a vigorar na capital paulista a chamada Zona 40, que reduziu a velocidade máxima permitida nas vias de 50 quilômetros por hora (km/h) para 40 km/h. Mas a medida, que tem por objetivo aumentar a segurança de pedestres e ciclistas, reduzindo o número de acidentes e atropelamentos na região, não tem motivos para ser comemorada.

Entenda o engodo: a Zona 40 paulistana nada mais é do que uma Zona 30 – política urbanística adotada com sucesso em cidades como Paris, Barcelona e Amsterdã — com uma incrível tolerância de 33%. Com os 7km/h de tolerância, previstos no CTB, a velocidade limite real chega próxima aos 50 km/h. Esse jeitinho brasileiro, que busca equiparar uma CNH ao título de eleitor, faz uma diferença tremenda nas estatísticas. De tolerância em tolerância, a chance de que uma colisão mate o pedestre ou o ciclista é 9 vezes maior quanto mais o ponteiro do velocímetro atinge os 50 km/h (clique no infográfico para ver os detalhes).

1376655_729243397090348_1947263979_nA Zona 30 só faz sentido se a velocidade foi limitada, dado à fluidez do trânsito na área central da cidade uma escalada mais civilizada e humana. Em um deslocamento de 15 quilômetros, o motorista perde apenas 7 minutos se reduzir a velocidade de 40 km/h para 30km/h. Mas há outra forma de calcular essa diferença, minutos a menos para uns significa 4 mortos a mais em cada 10 acidentes.

Tabu curitibano

Em Curitiba, a Zona 30 vem sendo arquitetada desde 2007. Mas o assunto sempre foi tratado como tabu. A engenheira de trânsito da Urbs Rosângela Battistella diz que esse é um sonho antigo que não encontrou eco nas administrações anteriores. “Espero que, agora, as coisas aconteçam”, afirma.

Ela defende a implantação de um centro acalmado no quadrilátero formado da Inácio Lustosa até a Sete de Setembro e da Mariano Torres até a 24 de maio. Rosângela advoga também pela redução de velocidade nos centros urbanos assim como a elevação no custo dos estacionamentos em vias públicas, destinando a arrecadação para subsidiar a tarifa do transporte público.

Ao que consta, as vozes que defendem a implantação de uma Zona 30 em Curitiba já encontram ressonância no Juvevê, mas ainda não fizeram eco no Centro Cívico.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.