Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Mossato Pinto é filiado ao PSDB e sua base eleitoral é na cidade de Jacarezinho (Foto:Jaelson Lucas / ANPr)
Mossato Pinto é filiado ao PSDB e sua base eleitoral é na cidade de Jacarezinho (Foto:Jaelson Lucas / ANPr)| Foto:

O presidente do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Luiz Tarcísio Mossato Pinto, anunciou em entrevista ao jornal NP Diário, da Região Norte no estado, que deixa a chefia do órgão ambiental no sábado (7) para disputar uma vaga na Assembleia Legislativa. A assessoria do IAP confirma a saída do presidente. Mossato Pinto é filiado ao PSDB e atua na construção de sua base eleitoral na região de Jacarezinho.

Ao jornal do interior, ele apresentou o desenvolvimento sustentável como uma de suas bandeiras. “Vamos trabalhar sem radicalismo e com diálogo na conservação do solo e no desenvolvimento sustentável do nosso estado, procurando resolver as demandas em vários setores”, afirmou.

LEIA MAIS: Enfraquecido, conselho da Escarpa Devoniana vai analisar proposta de redução da área

Nos últimos anos, a gestão de Mossato Pinto à frente do IAP tem estado sob investigação de diversos órgãos. No fim do ano passado, o Instituo foi alvo de um inquérito da Polícia Civil para investigar se houve negligência do órgão na questão da alteração da Escarpa Devoniana. Segundo a portaria de instauração do inquérito, havia indícios de crime de falsidade ideológica e de patrocínio de interesse privado perante a administração pública.

A investigação foi instaurada a pedido do Ministério Público do Paraná (MP-PR), que em procedimento preparatório também viu indícios de crimes.

Em 2015, o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), cumpriu mandado de busca e apreensão na casa de Mossato Pinto. A ação aconteceu no âmbito da Operação Superagui, desencadeada por causa de uma licença ambiental com suspeita de irregularidades concedida à empresa Green Logística.  A licença foi para um pátio de caminhões, às margens da BR-277, e previa a derrubada de 10 hectares de vegetação em Paranaguá.

Acompanhe o blog no Twitter. 

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]