i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Leandro Narloch

Ver perfil

Liberdade econômica, o mais importante e esquecido dos direitos humanos

  • PorLeandro Narloch
  • 02/02/2018 05:20
Mercado flutuante de Bangkok, na Tailândia
Mercado flutuante de Bangkok, na Tailândia| Foto:

Imagine que dois homens estão fechados numa sala trocando carinhos. Estão ali por escolha própria – cada um deles pode ir embora quando quiser. Para intelectuais mais ligados à esquerda, ninguém deve atentar contra a liberdade desses homens, pois um dos direitos humanos fundamentais é o de buscar a própria felicidade sem que outras pessoas se intrometam.

Agora considere que os mesmos dois homens, fechados na mesma sala, não estão trocando carinhos, mas serviços. Estão ali por escolha própria – cada um deles pode ir embora quando quiser. Digamos que um trabalha para o outro sem carteira assinada ou que um deles é motorista ou personal trainer sem o registro profissional exigido pelo Ministério do Trabalho.

Diante desse segundo caso, intelectuais de esquerda se omitem e começam a impor regras, proibições e punições. Esquecem que aqueles dois homens, assim como no primeiro exemplo, estão exercendo seu direito fundamental de buscar a própria felicidade sem que outros os importunem.

A liberdade econômica, medida pelo ranking divulgado hoje pela Heritage Foundation, é um direito humano tão ou mais importante que a igualdade perante a Lei, o acesso a uma Justiça imparcial, a liberdade de pensamento, de expressão, de crença religiosa ou de opção sexual. Na verdade é até mesmo difícil dissociá-la dos demais direitos humanos.

“O controle econômico não é apenas o controle de um setor da vida humana, distinto dos demais”, disse Friedrich Hayek, o grande economista liberal do século 20, num dos principais trechos de O Caminho da Servidão.“É o controle dos meios que contribuirão para a realização de todos os nossos fins. Pois quem detém o controle exclusivo dos meios também determinará a que fins nos dedicaremos, a que valores atribuiremos maior ou menor importância – em suma, determinará aquilo em que os homens deverão crer e a que se esforçar.”

Por exemplo, quem quer exercer seu direito à liberdade de pensamento e expressão precisa de tempo livre para estudar e debater. Precisa de dinheiro para montar um jornal, ter um computador e acesso à internet para conhecer e divulgar ideias.

Até mesmo dois homens interessados em trocar carinho numa sala precisam, antes de tudo, de uma sala, ou seja, da propriedade ainda que temporária de um imóvel. E precisam de um sistema que os reconheça e os remunere pelo seu trabalho, e não por preconceitos ou identidades de grupo.

Sem liberdade de comprar e vender livremente, de fechar contratos de trabalho ou de parcerias, de ter uma profissão sem precisar apresentar títulos ou documentos, de manter ou negociar propriedades, a ação humana se torna refém de burocratas e poderosos. E assim todas as demais liberdades correm perigo.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.