Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
A supporter of Brazilian President Jair Bolsonaro holds up an inflatable hand depicting Brazil’s flag on his birthday, outside the lawns of the Alvorada Palace, in Brasilia, on March 21, 2021. (Photo by EVARISTO SA / AFP)
No Brasil, se você for inteligente, você será corrupto, político ou juiz.| Foto: Evaristo Sá/AFP

Máximas vindas do coração da peste: 1) Os idiotas da peste estão por toda parte. Seguem seu mito. Fazem pancadão e churrasco na cobertura do prédio. São responsáveis, indiretamente, em parte, pelas mortes ao dar sustentação a um governo irresponsável. Alguém ainda duvida de como nossa espécie é irracional?

2) A vacinação centralizada no Estado é coisa de gente atrasada. Muita dessa gente atrasada tem diploma e é especialista em epidemiologia. Já temos mercado paralelo, corrupção, nepotismo e truques oportunistas de pessoas que se encostam em quem de fato está na linha de frente para faturar vacina furando a fila. A vacina virou mais um mercado para a corrupção. Quem quiser ver verá: nasce um canalha a cada instante.

3) Quanto mais a mídia esfregar na cara das pessoas um alto número de mortos, mais indiferente elas ficarão. Grandes calamidades são monótonas. Nunca subestime a potência da monotonia como causadora de indiferença ao sofrimento alheio. Faltou inteligência aos jornalistas –correndo atrás de "opiniões científicas" a todo custo, acabaram por ingressar em um frenesi de excesso de dados.

4) A peste se tornou um grande mercado para oportunistas com ou sem diplomas virarem celebridades vendendo o terror. Revistas científicas de renome buscando furos. Artigos sem revisão pelos pares saem na mídia como verdade última acerca da não eficácia de vacinas. Cientistas buscando seus 15 minutos de sucesso. O vírus é parceiro da vaidade.

5) Grande parte do país é composta de retardados mentais em todos os espectros sociais e econômicos. Do pancadão à festa na cobertura do prédio, a saturação de gente boçal é gigantesca.

6) Os burocratas do Judiciário só querem aparecer, inclusive atrapalhando o que for necessário para desfilar o poder da suas canetas sobre nós, os mortais.

7) Os militares perderam uma grande chance de mostrar autonomia em relação ao mito e de se tornar uma força clara no combate à peste. As Forças Armadas hoje são uma sombra atrás do mito, que as chama de "meu exército".

8) A classe política brasileira, em grande parte, mais uma vez mostrou seu oportunismo politizando a peste, o tratamento e a vacina, fazendo do Brasil uma república das bananas.

9) Em outras épocas, as igrejas –fossem de qualquer denominação– eram agentes claros de civilização e de combate a pestes. Pergunto: para além da preocupação com seus "dízimos", o que as igrejas têm, de fato, feito com protagonismo no combate à pandemia?

10) A peste já deveria ter derrubado Bolsonaro da Presidência, se as Casas Legislativas tivessem um mínimo de vergonha na cara.

11) O STF tampouco tem sido um agente exemplar na crise. Indiferente a ela, tenta furar a fila da vacina e finge estar preocupado com o país exigindo um plano de vacinação do inútil Ministério da Saúde, como se essa exigência tivesse alguma validade efetiva contra as mortes. Bravatas togadas.

12) No Brasil, a burocracia durante a pandemia tem demonstrado o quanto ela pode ser um entrave na solução dos problemas, mesmo quando essa burocracia vem de especialistas em saúde pública e em vacinas.

13) O Brasil é um país, em grande parte, de ladrões e de oportunistas. E essa gente mau-caráter pesa sobre os ombros de quem luta no dia a dia, na peste e mesmo além dela, para fazer do Brasil um país menos canalha. Eventos como este deixam claro o mau-caratismo de uma população. Em meio a ladrões e oportunistas há gente com ou sem casaca, com ou sem colarinho branco, com ou sem diploma, de todos os espectros ideológicos.

14) Esquerda e direita têm demonstrado, ao longo da peste, o lixo que são.

15) No Brasil, se você for inteligente, você será corrupto, político ou juiz.

16) As redes sociais brilham com a luz de Hades. Entre os mais adictos nelas estão os veículos de mídia, que podem destruir a sua credibilidade à medida em que rezam no altar do "deus engajamento".

17) A peste prova que a humanidade não evolui moralmente um centímetro, apesar de o marketing vender o contrário.

18) A melhor coisa a fazer é não acompanhar mais o ruído. O silêncio e o quietismo são hoje formas de higiene pessoal.

77 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]