Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC| Foto:
Ivan Storti/Santos FC

Ivan Storti/Santos FC

A STJD puniu o Santos com multa de R$ 3 mil e suspensão do presidente Modesto Roma Júnior por 15 dias. Motivo: o Peixe não gostou de uma decisão da CBF, de alterar na véspera o horário e a data de um jogo, e protestou.

Diante da Ponte Preta, os santistas atuaram com a inscrição “faltou respeito” na camisa. Não houve violência, nada. Apenas uma simples frase. Mesmo assim, o tribunal enquadrou o clube.

É a ditadura da CBF, entidade reconhecida mundialmente pela honestidade de seus dirigentes. Dos três últimos presidentes, um renunciou atolado em denúncias de corrupção, outro está em cana e o atual não sai do Brasil com medo do FBI.

Nas competições da CBF funciona assim. Não gostou de alguma coisa? Fique quieto. Fez qualquer tipo de manifestação? Tribunal e punição.

E pensar que o futebol já foi considerado um esporte extremamente democrático. Era nas arquibancadas, ao menos. Agora, nem na torcida. E nos bastidores, segue como sempre: território de autoridades sem credibilidade alguma.

LEIA MAIS:

Richa e Fruet concordam sobre o potencial da Arena do Atlético; assista

STJD envergonha o Brasil ao punir o Grêmio por causa da filha de Renato Gaúcho

Chega de polêmica e análises vazias. A grama sintética do Atlético é uma realidade 

Carpegiani não está nem aí para o Paranaense, mas a CBF está 

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]